Forças ucranianas recuperam controlo de 60 localidades em Kherson

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que as forças militares ucranianas recuperaram o controlo de mais de 60 localidades em Kherson, após a retirada do exército russo dessa região do sul do país.

Forças ucranianas recuperam controlo de 60 localidades em Kherson

Forças ucranianas recuperam controlo de 60 localidades em Kherson

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que as forças militares ucranianas recuperaram o controlo de mais de 60 localidades em Kherson, após a retirada do exército russo dessa região do sul do país.

“A partir desta noite, as forças de defesa recuperaram o controlo em mais de 60 localidades na região de Kherson e a polícia começou a tomar medidas de estabilização”, assegurou o presidente ucraniano no seu habitual discurso noturno transmitido nas redes sociais. Zelensky adiantou que os especialistas em desativação de bombas “têm muito trabalho a fazer” neste território, tendo em conta que quase 2.000 engenhos explosivos já foram removidos, caso de minas, armadilhas e munições por explodir. Adiantou ainda que dez grupos de peritos em desativação de engenhos explosivos estão trabalhar na região, em conjunto com a polícia e várias unidades das forças de defesa.

Tiros atingem a sede de um jornal no oeste do Brasil
A sede do jornal Rondónia Ao Vivo, em Porto Velho, capital do estado brasileiro de Rondónia (oeste), foi atacada a tiro, após receber ameaças de um grupo de extrema-direita, apoiante do ainda Presidente Jair Bolsonaro (… continue a ler aqui)

“Antes de fugirem de Kherson, os russos destruíram todas as infraestruturas críticas: comunicações, abastecimento de água, aquecimento e eletricidade”, lamentou o Presidente da Ucrânia. Volodymyr Zelensky agradeceu ainda às forças de defesa e de informações “pelo brilhante trabalho das tarefas de libertação de Kherson”, acrescentando que “farão o mesmo em Henichesk e Melitopol”. A invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas — mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Zelensky agradeceu ainda às forças de defesa e de informações “pelo brilhante trabalho das tarefas de libertação de Kherson”

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas. A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.490 civis mortos e 9.972 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Impala Instagram


RELACIONADOS