Força portuguesa com 146 militares reforça missão da NATO no Afeganistão em maio

Força portuguesa com 146 militares reforça missão da NATO no Afeganistão em maio

Os três helicópteros Kamov que estão em Ponte de Sor não podem ser considerados meios aéreos operacionais para combater os fogos a partir de 15 de maio, assegurou hoje a Everjets.

Lisboa, 07 abr (Lusa) — Uma força constituída por 146 militares do Exército português parte no próximo dia 7 de maio para o Afeganistão para integrar a missão da NATO, com a função de garantir a proteção do aeroporto internacional de Cabul.


A 1.º Força Nacional Destacada (FND) naquela missão da NATO recebe hoje o estandarte nacional numa cerimónia em Castelo Branco, anunciou o Exército.


Segundo disse à Lusa o porta-voz do ramo, tenente-coronel Vicente Pereira, a partida dos militares está prevista para os dias 7 de maio (144) e 8 (dois que irão acompanhar a carga noutro voo).


Com 146 elementos, dos quais três são mulheres, a força está dividida em três pelotões, sendo constituída a partir das unidades da Brigada de Intervenção, dos Regimentos de Vila Real, Viseu e Braga.


Do contingente português que partirá em maio, 123 são praças, 17 são sargentos e 6 são oficiais. Do total, 56 militares já têm experiência noutros teatros de operações, segundo informação do Exército.


Durante a missão, os militares vão utilizar viaturas de “tipologia MRAP” que “aumentam a eficácia das forças de combate, proporcionando maior proteção pessoal” pela sua configuração, indica o Exército.


Aquelas viaturas serão utilizadas por Portugal no âmbito de um acordo com os EUA, adiantou à Lusa fonte do Exército, sublinhando que os condutores e chefes de viatura tiveram formação na Alemanha para as poderem operar em segurança.


A Força Nacional Destacada, comandada pelo major de Infantaria João Miguel Pais, constitui-se como força de reação rápida da força de proteção da Base do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, integrando a missão da NATO no Afeganistão, designada “Resolute Support Mission”.


A força multinacional liderada pela da NATO começou em 2015 e visa o treino, aconselhamento e apoio às forças militares e de segurança e o fortalecimento das instituições do Afeganistão, contando com cerca de 13 mil militares de 39 países.


O contingente nacional no Afeganistão inclui ainda dez elementos em funções de Estado-Maior no Quartel-General da missão e do Comando da Componente de Operações Especiais, e uma equipa de formadores em artilharia, para apoio e aconselhamento dos militares afegãos. A missão da equipa de formadores começará no início de julho.


Para preparar o alojamento e instalações do contingente nacional partem já entre os dias 9 e 16 de abril cerca de 20 militares para Cabul, constituindo-se como equipa de apoio logístico, adiantou o Exército.


A `Resolute Support Mission´ sucedeu à ISAF (Força Internacional de Apoio à Segurança) na qual Portugal participou com cerca de 3.200 militares em 12 anos.


A NATO está presente no Afeganistão com mandato da ONU desde 2003, a pedido dos EUA, na sequência do ataque terrorista naquele país em 11 de setembro de 2001.



SF // JPS

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Força portuguesa com 146 militares reforça missão da NATO no Afeganistão em maio

Os três helicópteros Kamov que estão em Ponte de Sor não podem ser considerados meios aéreos operacionais para combater os fogos a partir de 15 de maio, assegurou hoje a Everjets.