Fim do julgamento de destituição de Trump deverá acontecer nos “próximos dias”

O julgamento do processo de destituição do Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, deverá estar concluído “nos próximos dias”, afirmou hoje o líder da maioria republicana no senado norte-americano, Mitch McConnell.

Fim do julgamento de destituição de Trump deverá acontecer nos

Fim do julgamento de destituição de Trump deverá acontecer nos “próximos dias”

O julgamento do processo de destituição do Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, deverá estar concluído “nos próximos dias”, afirmou hoje o líder da maioria republicana no senado norte-americano, Mitch McConnell.

“Os senadores vão trabalhar agora com os advogados da Câmara [dos Representantes] e os conselheiros do Presidente para determinar os próximos passos enquanto nos preparamos para concluir o julgamento [do ‘impeachment’] nos próximos dias”, afirmou McConnell aos jornalistas, citado pela agência France-Presse, logo após ter sido rejeitada a audição de mais testemunhas.

O Senado norte-americano rejeitou hoje chamar mais testemunhas ao processo de destituição do Presidente dos EUA, o que pode antecipar a absolvição deste.

A votação para permitir novas testemunhas foi derrotada por 51-49 no Senado, onde os Republicanos, partido de Trump, têm a maioria.

Os 100 senadores dos EUA iam decidir hoje se o julgamento político de Donald Trump, que decorre desde a semana passada, iria recolher depoimentos de novas testemunhas ou se passava para a fase final de votação dos dois artigos para destituição, onde o Presidente é acusado de abuso de poder e obstrução ao Congresso.

Os Democratas insistiam na necessidade de ouvir novas testemunhas, nomeadamente o ex-conselheiro de segurança nacional John Bolton e o chefe de gabinete de Donald Trump, Mick Mulvaney, que não conseguiram levar ao inquérito para destituição nos dois comités da Câmara de Representantes, devido às resistências da Casa Branca.

No processo de ‘impeachment’, Donald Trump é acusado de ter tentado pressionar o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, para que investigasse a atividade da família de Joe Biden, rival político do líder norte-americano, junto de uma empresa ucraniana envolvida num caso de corrupção.

AFE (SR) // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS