Farage não é candidato nas legislativas de dezembro do reino Unido

Nigel Farage anunciou que não será candidato nas eleições legislativas de 12 de dezembro, preferindo percorrer o país para apoiar as centenas de candidatos do Partido do Brexit, que lidera.

Farage não é candidato nas legislativas de dezembro do reino Unido

Farage não é candidato nas legislativas de dezembro do reino Unido

Nigel Farage anunciou que não será candidato nas eleições legislativas de 12 de dezembro, preferindo percorrer o país para apoiar as centenas de candidatos do Partido do Brexit, que lidera.

Londres, Reino Unido, 03 nov 2019 (Lusa) — O político eurocético Nigel Farage anunciou hoje que não será candidato nas eleições legislativas britânicas de 12 de dezembro, preferindo percorrer o país para apoiar as centenas de candidatos do Partido do Brexit, que lidera.

“Refleti muito [sobre essa questão]”, afirmou em declarações à BBC Nigel Farage, que por sete vezes tentou, sem sucesso, ser eleito para a Câmara dos Comuns.

“Tento ser eleito para o Parlamento ou será que sirvo melhor a causa percorrendo todo o Reino Unido para apoiar os 600 candidatos? Decidi que a última opção é a melhor”, acrescentou o antigo ‘trader’ no mercado financeiro de Londres, de 55 anos, assegurando que não pretender “passar o resto da vida na política”.

Farage voltou a criticar o acordo de saída da União Europeia (UE) negociado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, afirmando que era um ‘Brexit’ favorável aos apoiantes da manutenção do Reino Unido na UE.

O Partido do Brexit foi fundado no início deste ano para pressionar o Governo conservador a romper com a UE e foi o mais votado nas eleições europeias de maio, com 31,6% dos votos. Porém, ainda não tem assento na Câmara dos Comuns.

O Reino Unido aceitou na semana passada um novo prolongamento do processo para o ‘Brexit’, que estava previsto terminar na quinta-feira, mas que agora pode ser concluído até 31 de janeiro.

Para desbloquear o impasse político no parlamento britânico, que chumbou três vezes um acordo negociado por Theresa May e recusou aprovar em três dias o acordo negociado por Boris Johnson, inviabilizando assim a saída no final de outubro, foi aprovada na terça-feira a realização de eleições legislativas antecipadas a 12 de dezembro, tendo o governo suspendido a legislação relacionada com o acordo para depois do escrutínio.

PD // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS