Extrema-direita e extrema-esquerda elegem deputados franco-portugueses nas eleições francesas

As eleições legislativas em França levam novas caras portuguesas à Assembleia Nacional com Nathalie da Conceição Carvalho a representar a extrema-direita, Emmanuel Fernandes a esquerda e mais três deputados a conseguirem a renovação do mandato.

Extrema-direita e extrema-esquerda elegem deputados franco-portugueses nas eleições francesas

Extrema-direita e extrema-esquerda elegem deputados franco-portugueses nas eleições francesas

As eleições legislativas em França levam novas caras portuguesas à Assembleia Nacional com Nathalie da Conceição Carvalho a representar a extrema-direita, Emmanuel Fernandes a esquerda e mais três deputados a conseguirem a renovação do mandato.

Nathalie da Conceição Carvalho faz parte da onda de quase 90 deputados da União Nacional de Marine Le Pen que conseguiram um assento no Parlamento. Esta franco-portuguesa foi eleita na região parisiense, em Essone, ganhando face ao candidato da coligação de esquerda.

Em 2017, Nathalie da Conceição Carvalho já tinha sido candidata noutro círculo eleitoral em Essone, não conseguindo nessa altura ser eleita. Esta franco-portuguesa diz-se “patriota”, segundo o “Le Parisien” e é empresária na área dos eventos, não tendo até agora exercido qualquer cargo político.

Para Emmanuel Fernandes é também uma estreia na Assembleia Nacional. O deputado da coligação de esquerda Nova União Popular Ecologista e Social (Nupes) ganhou no seu círculo eleitoral em Estrasburgo, após uma noite repleta de emoções em que o seu opositor chegou a ser dado como vencedor.

 Em entrevista à agência Lusa, Emmanuel Fernandes disse antes da sua eleição que há “uma urgência social” em França.

Também à esquerda, e inserida na Nupes, Christine Pires Beaune conseguiu a reeleição, na região de Puy de Dôme. Esta deputada socialista com origens portuguesas vai assim cumprir o seu terceiro mandato na Assembleia Nacional.

Também reeleito foi Ludovic Mendes, deputado do República em Marcha, partido do Presidente Emmanuel Macron. Ludovic Mendes ganhou no seu círculo eleitoral em Moselle, com o deputado de 35 anos a iniciar agora o seu segundo mandato.

Outra figura franco-portuguesa que renovou o mandato foi Dominique da Silva, também candidato do República em Marcha. O deputado do Val d’Oise passou em segundo lugar na primeira volta, mas conquistou o seu assento no domingo, reunindo 50,4% dos votos.

Eleito pela primeira vez, Antoine Vermorel-Marques não é português, mas casado com uma portuguesa, tendo adotado o nome da mulher, algo comum entre os casais franceses. Este novo deputado da direita francesa foi eleito na região do Loire e derrotou a candidata do República em Marcha.

O Presidente Emmanuel Macron perdeu no domingo a maioria parlamentar na Assembleia Nacional, tendo elegido 245 deputados. A coligação Nupes arrecadou o segundo lugar com 131 deputados, não se sabendo qual a configuração que vai adotar no Parlamento. Já a União Nacional, de Marine Le Pen, foi a vencedora da noite, conseguido eleger 89 deputados, multiplicando por 11 o número de deputados eleitos em 2017.

 

CYF // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS