EUA/Eleições: Debate de candidatos a vice-presidente acentua divisão entre eleitores

O debate entre os candidatos à vice-presidência dos Estados Unidos Kamala Harris e Mike Pence, que terminou hoje de madrugada, acentuou a divisão entre os apoiantes do Partido Republicano e do Democrata.

EUA/Eleições: Debate de candidatos a vice-presidente acentua divisão entre eleitores

EUA/Eleições: Debate de candidatos a vice-presidente acentua divisão entre eleitores

O debate entre os candidatos à vice-presidência dos Estados Unidos Kamala Harris e Mike Pence, que terminou hoje de madrugada, acentuou a divisão entre os apoiantes do Partido Republicano e do Democrata.

A maior parte dos cerca de 150 milhões de eleitores já decidiram em quem votar em 03 de novembro e para a pequena porção de indecisos existem estas discussões entre candidatos, mas o público considerou que o debate de Salt Lake City, moderado pela jornalista Susan Page, não trouxe novidades, apenas dúvidas sobre a utilidade destes encontros televisivos.

Em substituição de festas e reuniões, normalmente em espaços públicos, para acompanhar os momentos políticos mais importantes antes das eleições nos Estados Unidos, o debate foi seguido por quase uma centena de pessoas numa reunião virtual a que a Lusa assistiu.

A divisão foi notória entre eleitores com preferências pelo Partido Republicano, de Donald Trump e Mike Pence, e os que apoiam o Partido Democrata, de Joe Biden e Kamala Harris.

Uma participante chamada Anna escreveu, no ‘chat’, que “procurar eleitores indecisos é como procurar unicórnios”, seres mitológicos, já que muitos eleitores demonstram as preferências de maneira óbvia, principalmente em eventos virtuais onde poucos se conhecem, mas onde todos podem manifestar uma opinião.

Numa análise ao comportamento do vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, um participante chamado Elias considerou que o candidato republicano nada “está a acrescentar à plataforma, só está a proteger a administração”.

Um dos pontos iniciais mais atacados na reunião foi a “falta de transparência” nas informações da atual administração sobre o estado de saúde do Presidente Donald Trump, infetado com covid-19, ou sobre os impostos.

O participante David escreveu que “defender a resposta de Trump à pandemia é extremamente difícil quando há um aglomerado ativo de casos na Casa Branca”.

Muitos eleitores podem ter terminado o debate ainda sem uma noção clara sobre o papel do vice-Presidente dos Estados Unidos.

À Lusa, o especialista Joel Goldstein, disse que os três objetivos principais de um candidato a vice-Presidente são dar “eco aos temas da campanha presidencial”, defender que o candidato a Presidente é a “melhor pessoa para liderar os Estados Unidos” e “atacar o adversário e encontrar razões porque o desempenho ou as políticas do oponente não seriam no melhor interesse do país”.

Vários assuntos estiveram em discussão no debate moderado pela jornalista da USA Today Susan Page, como a pandemia de covid-19, a economia, a política externa e os próprios candidatos a Presidente nas eleições de 03 de novembro, Donald Trump e Joe Biden.

Mike Pence afirmou que acredita numa vitória porque Trump “lançou um movimento de americanos de todos os tipos” e serão os mesmos eleitores que lhe deram a vitória em 2016 que o vão reconduzir à Casa Branca.

“O movimento só se tornou mais forte”, considerou Pence.

Biden e Trump têm mais debates marcados para 15 e 22 de outubro. Apesar da doença do Presidente, nenhum foi desmarcado.

 

EYL (ARYG) // EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS