EUA impõem sanções à Rússia pelo envenenamento de antigo espião Skripal

EUA impõem sanções à Rússia pelo envenenamento de antigo espião Skripal

Os Estados Unidos vão impor sanções à Rússia pelo uso de um agente neurotóxico (Novichok) na tentativa de homicídio por envenenamento de um antigo espião russo e da filha no Reino Unido

Washington, 08 ago (Lusa) — Os Estados Unidos vão impor sanções à Rússia pelo uso de um agente neurotóxico (Novichok) na tentativa de homicídio por envenenamento de um antigo espião russo e da sua filha no Reino Unido, noticiou hoje a Associated Press (AP).

O Departamento de Estado norte-americano disse hoje que as sanções vão ser impostas à Rússia pelo uso de uma arma química, violando a lei internacional.

O antigo espião russo Sergei Skripal e a sua filha Yulia foram envenenados em março com Novichok, um agente neurotóxico de uso militar, em Salisbury, no Reino Unido.

A Rússia foi acusada pelo Reino Unido de ser responsável pelo ataque, algo que o Kremlin nega veementemente.

Desde março, dois outros cidadãos britânicos sem ligações à Rússia foram envenenados com a mesma substância.

Depois de decorrido um período de 15 dias para notificação, as sanções vão ter efeito por volta de 22 de agosto, de acordo com um comunicado do Departamento de Estado citado pela AP.

O envenenamento dos Skripal causou uma crise diplomática entre Londres e Moscovo, pois o governo britânico decidiu expulsar vários diplomatas russos, medida seguida pela Rússia, que exigiu a saída de diplomatas britânicos do país.

Além disso, vários países ocidentais expressaram solidariedade com o Reino Unido e tomaram medidas semelhantes.

O Reino Unido acusou diretamente a Rússia do envenenamento dos Skripal, depois de uma investigação que identificou o Novichok como uma substância de fabrico militar russo.

IMA // ARA

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

EUA impõem sanções à Rússia pelo envenenamento de antigo espião Skripal

Os Estados Unidos vão impor sanções à Rússia pelo uso de um agente neurotóxico (Novichok) na tentativa de homicídio por envenenamento de um antigo espião russo e da filha no Reino Unido