Energia eólica ‘offshore’ pode criar 50 mil empregos na Península Ibérica até 2030

O setor da energia eólica ‘offshore’ flutuante poderá criar, em 2030, até 50 mil empregos qualificados em Portugal e Espanha e gerar 5.000 milhões de euros de volume de negócios, segundo um relatório da consultora Enzen.

Energia eólica 'offshore' pode criar 50 mil empregos na Península Ibérica até 2030

Energia eólica ‘offshore’ pode criar 50 mil empregos na Península Ibérica até 2030

O setor da energia eólica ‘offshore’ flutuante poderá criar, em 2030, até 50 mil empregos qualificados em Portugal e Espanha e gerar 5.000 milhões de euros de volume de negócios, segundo um relatório da consultora Enzen.

“Esta indústria tem o potencial de criação de até 50.000 empregos altamente qualificados (60% diretos e 40% indiretos), e um volume de negócios que poderá atingir os 5.000 milhões de euros em 2030, com mais de um terço das receitas a serem provenientes das exportações”, indicou, em comunicado, a InnoEnergy, responsável pelo lançamento do estudo.

De acordo com o documento “A Península Ibérica como polo de desenvolvimento tecnológico e liderança industrial na área da energia eólica ‘offshore’ [no mar] flutuante”, durante a próxima década haverá um “rápido crescimento global” desta indústria “com enormes vantagens competitivas” para os primeiros a posicionarem-se.

“Numa época tão complicada como a atual, a aposta na energia eólica ‘offshore’ flutuante é uma oportunidade única para dinamizar a economia e ajudar a tão necessária reconversão industrial de Espanha e Portugal no âmbito da transformação energética”, assegurou, citado no mesmo comunicado, o presidente executivo da EIT InnoEnergy Iberia, Mikel Lasa.

O estudo revelou ainda que a Península Ibérica está “no caminho certo” para se tornar um ‘hub’ desta área, tendo em conta as “vantagens competitivas que detém”, como a disponibilidade para desenvolver um mercado interno “em fases iniciais”, nomeadamente, em áreas insulares.

Por outro lado, a localização geográfica e as capacidades industriais são outras das vantagens para a região.

A Europa, América do Norte e Ásia são, atualmente, as regiões mais relevantes neste setor, conforme apontou o relatório.

PE // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS