Embraer e a empresa francesa Thales vão desenvolver ‘carro voador’ elétrico

A fabricante brasileira de aeronaves Embraer, através da sua subsidiária Eve, e a empresa de tecnologia francesa Thales anunciaram hoje um acordo para o desenvolvimento conjunto de uma aeronave elétrica.

Embraer e a empresa francesa Thales vão desenvolver 'carro voador' elétrico

Embraer e a empresa francesa Thales vão desenvolver ‘carro voador’ elétrico

A fabricante brasileira de aeronaves Embraer, através da sua subsidiária Eve, e a empresa de tecnologia francesa Thales anunciaram hoje um acordo para o desenvolvimento conjunto de uma aeronave elétrica.

Num comunicado, a Embraer disse que o acordo com a Thales, líder global em soluções tecnológicas na área de defesa e transporte aéreo, procurará consolidar o projeto de desenvolvimento de uma aeronave elétrica de descolagem e pouso vertical (eVTOL) conhecida como “carro voador”.

A iniciativa, que a Eve já avançou em janeiro passado, terá agora uma fase de estudos de 12 meses em conjunto com a Thales, em que serão abordados “aspetos técnicos, económicos e a viabilidade adaptável de uma aeronave 100% elétrica”.

A Thales, que há três décadas trabalha em outros projetos em conjunto com a Embraer, já possui experiência no desenvolvimento de sistemas de aviação, motores elétricos, controlo de voo e navegação e sistemas de comunicação e interconexão.

O vice-presidente da área de Aviação da Thales, Yannick Assouad, ressaltou que o projeto trará vantagens para o ambiente com o uso de energia limpa.

A Eve é uma empresa independente do grupo Embraer que atua no setor de mobilidade aérea urbana com o objetivo de desenvolver suas próprias aeronaves elétricas avançadas.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 lugares e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, a Embraer anunciou em janeiro a venda de dois parques industriais em Évora à empresa espanhola Aernnova Aerospaceque, mas mantém-se acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.

CYR // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS