Eleições/Brasil: Bolsonaro chega aos 35% das intenções de voto na primeira volta

O candidato Jair Bolsonaro continua a crescer nas sondagens, três dias antes das eleições presidenciais do Brasil, alcançando 35% das intenções de voto contra 22% de Fernando Haddad, o segundo colocado, segundo o Instituto Datafolha.

A sondagem publicada na quinta-feira demonstra que Bolsonaro cresceu três pontos percentuais em relação ao último levantamento do Datafolha, divulgado no dia 2 de outubro.

O candidato Ciro Gomes está em terceiro lugar com 11% das intenções de voto, seguido de Geraldo Alckmin, que caiu de 9% para 8%, enquanto a ambientalista Marina Silva continua com 4% das intenções de voto.

Como nenhum candidato tem ainda mais de 50% das intenções de voto, nas sondagens já divulgadas no país, Bolsonaro e Haddad devem enfrentar-se na segunda volta das presidenciais, marcadas para o dia 28 de outubro.

Numa simulação sobre a segunda volta, também do Instituto Datafolha, Bolsonaro de Haddad aparecem tecnicamente empatados com 43% e 44% das intenções de voto, respectivamente.

Os dois são também os que têm a maior rejeição entre os eleitores brasileiros. 45% dos entrevistados disseram que não votariam em Bolsonaro sob nenhuma circunstância, enquanto 40% disseram o mesmo sobre Haddad.

Os principais candidatos, exceto o líder Bolsonaro que ainda está em recuperação em casa devido aos ferimentos que sofreu num ataque no mês passado, participam num debate final que será exibido no canal de televisão Globo.

O debate da Globo, que tradicionalmente tem maior audiência, tem historicamente grande influência sobre os eleitores brasileiros, especialmente entre os indecisos.

Cerca de 147 milhões de brasileiros estão aptos a votar na primeira volta das presidenciais que acontece neste domingo.

CYR // MIM

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Eleições/Brasil: Bolsonaro chega aos 35% das intenções de voto na primeira volta

O candidato Jair Bolsonaro continua a crescer nas sondagens, três dias antes das eleições presidenciais do Brasil, alcançando 35% das intenções de voto contra 22% de Fernando Haddad, o segundo colocado, segundo o Instituto Datafolha.