Eleições: Publicações falsas sobre votação no Wisconsin com milhares de partilhas

Publicações partilhadas milhares de vezes nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram estão a afirmar falsamente que o número de pessoas que votaram nas eleições presidenciais norte-americanas no Wisconsin excede o número de votantes registados.

Eleições: Publicações falsas sobre votação no Wisconsin com milhares de partilhas

Eleições: Publicações falsas sobre votação no Wisconsin com milhares de partilhas

Publicações partilhadas milhares de vezes nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram estão a afirmar falsamente que o número de pessoas que votaram nas eleições presidenciais norte-americanas no Wisconsin excede o número de votantes registados.

Segundo noticia a agência AP, um grande número de publicações falsas sobre a participação eleitoral no Estado de Wisconsin ganhou força, gerando gostos, partilhas e comentários que atingiram centenas de milhares de partilhas.

Estas publicações surgiram após o candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, ter obtido uma vitória por curta margem na quarta-feira, naquele Estado que é considerado importante para o desfecho das eleições.

As mensagens partilhadas alimentam as acusações de que a votação foi mal conduzida.

“Parece fraude'”, escreveu Eric Trump, filho do presidente Donald Trump, numa publicação partilhada na sua conta no Facebook, Instagram e Twitter.

A imagem publicada por Eric Trump afirma que houve um aumento enorme e inexplicável na participação eleitoral em Wisconsin na eleição deste ano, mostrando as percentagens de participação eleitoral ao longo dos últimos 20 anos, e demonstram que este ano a participação atingiu os 89,25%.

Nos anos anteriores, demonstra a imagem incorretamente, a participação oscilou entre os 67% e os 73%.

A imagem publicada é baseada numa contabilidade incorreta de participação eleitoral naquele Estado.

A Comissão Eleitoral de Wisconsin calcula a participação eleitoral com base em toda a população em idade eleitoral e não apenas nos eleitores registados.

Qualquer pessoa elegível com mais de 18 anos pode comparecer na votação e registar-se para votar no próprio dia da eleição.

Na quinta-feira, o número de votos parecia ser de quase 3,3 milhões, o maior já registado em Wisconsin, o que significa uma participação eleitoral de cerca de 72% da população em idade eleitoral.

Em 2004, a participação foi maior, com 73% da população em idade de votar a ter comparecido para votar.

Um utilizador da rede social Twitter acusou, erradamente, a votação naquele estado de “fraude” e realçou que apenas 3.129.000 pessoas estavam registadas para votar em Wisconsin, o número do recenseamento eleitoral pouco antes das eleições intercalares de 2018.

Mas, a partir das 19:00 no domingo, a Comissão Eleitoral de Wisconsin apresentou o número de 3.684.726 eleitores registados.

Este número, bem acima dos 3.239.920 votos registados, não inclui as pessoas habilitadas para se registaram no dia da eleição.

Ou seja, não se registou nenhuma fraude naquele Estado, mas apenas publicações nas redes sociais com números desatualizados.

A Comissão Eleitoral de Wisconsin recebeu “muitas chamadas” sobre estes falsos rumores, revelou a principal autoridade eleitoral do Estado, Meagan Wolfe.

“O Wisconsin não tem mais votos do que eleitores registados”, assegurou Wolfe, apelando para que se “partilhem factos ao invés de especulações ou rumores”.

Biden soma, de acordo com as projeções dos meios de comunicação locais, 264 delegados no Colégio Eleitoral ficando a pouco de conseguir os 270 super eleitores necessários para ganhar a Casa Branca.

De acordo com os mesmos dados, Donald Trump soma 214 delegados do Colégio Eleitoral.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS