Economia no “caminho certo de recuperação” apesar do preço dos combustíveis

O ministro da Economia afirmou que Portugal está no “caminho certo de recuperação” económica, com PIB a crescer 4,2% no 3.º trimestre, apesar de se notar influência do preço dos combustíveis

Economia no

Economia no “caminho certo de recuperação” apesar do preço dos combustíveis

O ministro da Economia afirmou que Portugal está no “caminho certo de recuperação” económica, com PIB a crescer 4,2% no 3.º trimestre, apesar de se notar influência do preço dos combustíveis

Lisboa, 20 out 2021 (Lusa) — O ministro da Economia afirmou hoje que Portugal está no “caminho certo de recuperação” económica, com o Produto Interno Bruto (PIB) a crescer 4,2% no terceiro trimestre, apesar de se notar influência do crescimento dos preços dos combustíveis.

“Apesar de estarmos a notar já influência […] do crescimento dos preços dos combustíveis e de outras matérias-primas, continuamos a verificar que a economia portuguesa está num caminho certo de recuperação e a convergir com a União Europeia”, afirmou o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, em declarações aos jornalistas, à margem da 33.ª Reunião Plenária do Conselho Nacional do Consumo, no instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG).

De acordo com a estimativa rápida das contas nacionais trimestrais divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o PIB cresceu 4,2% no terceiro trimestre, em termos homólogos, e aumentou 2,9% face ao trimestre anterior.

“São obviamente dados positivos, a economia portuguesa cresce relativamente ao período homólogo do ano passado, o terceiro trimestre de 2020 tinha sido já um momento de grande crescimento e, portanto, esta comparação ainda torna mais relevante estes números”, afirmou o governante.

Siza Vieira apontou ainda que, relativamente ao relativamente aos números que já são conhecidos dos outros países da União Europeia (UE), Portugal cresceu mais do que a média da UE e da zona euro, sendo o terceiro país com um crescimento mais significativo, depois da França e da Áustria.

Questionado sobre a influência que o ‘chumbo’ do Orçamento do Estado para 2022 pode ter na recuperação económica, Pedro Siza Vieira considerou que se trata “obviamente, de mais um risco” que se adiciona ao processo de retoma.

“Aquilo que gostava de pensar é que, mais uma vez, saberemos gerir bem e ultrapassar essa incerteza e vamos, com certeza, assegurar que, durante estes tempos, o emprego continuará a crescer e a nossa economia continuará em franca recuperação”, afirmou.

MPE // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS