Economia e emprego dominam contactos do chefe do Executivo de Macau com população

A situação económica e de emprego dominaram os contactos que o chefe do Executivo de Macau manteve com trabalhadores, lojistas e residentes, durante os feriados do Ano Novo Lunar, em diferentes zonas do território.

Economia e emprego dominam contactos do chefe do Executivo de Macau com população

Economia e emprego dominam contactos do chefe do Executivo de Macau com população

A situação económica e de emprego dominaram os contactos que o chefe do Executivo de Macau manteve com trabalhadores, lojistas e residentes, durante os feriados do Ano Novo Lunar, em diferentes zonas do território.

Durante o período festivo do Ano Novo Lunar, que este ano decorreu entre os dias 12 e 16, Ho Iat Seng falou com responsáveis de comércios locais para conhecer como seguem os respetivos negócios, ao mesmo tempo que ouviu opiniões de residentes sobre a procura de emprego, de acordo com um comunicado do Gabinete de Comunicação Social.

Acompanhado por vários membros do executivo, Ho esteve também com trabalhadores da linha da frente e inteirou-se das medidas de resposta ao combate à pandemia da covid-19.

O chefe do Executivo visitou ainda várias instituições de apoio à população mais desfavorecida, além dos estaleiros de construção do hospital das ilhas, da quarta ponte Macau-Taipa e de habitação para idosos na nova zona urbana A, locais onde ficou a conhecer o ponto de situação destes projetos.

Na visita ao mercado abastecedor, na zona de Macau onde está instalado o Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau, Ho Iat Seng esteve com trabalhadores que procedem à inspeção sanitária e inteirou-se da situação diária no laboratório, especialmente na cadeia de produtos congelados importados, bem como “dos equipamentos e dos procedimentos de rastreio ao ácido nucleico do novo coronavírus”, indicou.

Macau foi dos primeiros territórios a ser atingido pela crise económica devido à pandemia por depender, quase exclusivamente, do mercado turístico e do jogo chinês, o que levou o Governo a estimar uma contração em 2020 de 60,9%.

O território registou o primeiro caso no dia 22 de janeiro e a partir daí adotou várias medidas sanitárias para controlar a propagação do vírus, como o encerramento dos casinos por 15 dias, um plano de distribuição de máscaras (dez máscaras por cerca de um euro) e um forte controlo fronteiriço.

As medidas sanitárias mostraram-se eficazes. Considerada uma das regiões mais seguras do mundo em relação à covid-19, Macau contabilizou apenas 48 casos desde final de janeiro de 2020, não tendo registado até hoje nenhuma morte causada pela doença.

CZL // EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS