É incompreensível permitir a outros aquilo que os portugueses estão impedidos — BE

Catarina Martins diz que é incompreensível que se permita a uma iniciativa como a final da Liga dos Campeões aquilo que os portugueses estão impedidos de fazer e responsabiliza o Governo.

É incompreensível permitir a outros aquilo que os portugueses estão impedidos -- BE

É incompreensível permitir a outros aquilo que os portugueses estão impedidos — BE

Catarina Martins diz que é incompreensível que se permita a uma iniciativa como a final da Liga dos Campeões aquilo que os portugueses estão impedidos de fazer e responsabiliza o Governo.

Lisboa, 29 mai 2021 (Lusa) — A coordenadora do BE, Catarina Martins, considerou hoje incompreensível que se permita a uma iniciativa como a final da Liga dos Campeões aquilo que os portugueses estão impedidos de fazer, atribuindo responsabilidades ao Governo e à Câmara do Porto.

No final da Mesa Nacional do BE – órgão máximo entre convenções que se reuniu hoje pela primeira vez, em Lisboa, desde a última reunião magna – Catarina Martins foi questionada pelos jornalistas sobre a final da Liga dos Campeões, que se realiza hoje no Porto, e que tem gerado desacatos e incumprimento das regras sanitárias por parte de alguns adeptos na cidade.

“Parece-me que não é compreensível permitir-se a uma iniciativa aquilo que não se permite à generalidade dos cidadãos e das cidadãs deste país”, criticou.

Questionada sobre quem tem responsabilidades, a coordenadora do BE referiu que, “do ponto de vista das normas e da sua implementação”, essas devem ser atribuídas ao Governo e à Câmara do Porto.

“Nós achamos que são sempre necessários os maiores dos cuidados. Portugal deve ter uma posição que seja compreendida por toda a comunidade na forma como impõe regras para prevenir riscos de covid-19. Sabemos que o ar livre é bem mais seguro do que os espaços fechados, sabemos que há já população vacinada, mas sabemos que são precisos cuidados”, tinha começado por responder.

Esta tarde, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já tinha pedido coerência, referindo-se à presença de adeptos ingleses em Portugal para a final da Liga dos Campeões, e defendeu que “não é possível dizer que vêm em bolha” e isso não acontecer.

Durante uma visita ao Banco Alimentar Contra a Fome, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa falava da pandemia e referiu a presença de adeptos ingleses para assistir à final da Liga dos Campeões, no Porto, sublinhando a necessidade de “um discurso que as pessoas percebam”.

JF (FM) // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS