DUP vai votar contra acordo do ‘Brexit’ mesmo que signifique adiar saída por um ano

O partido da Irlanda do Norte DUP, aliado do Governo britânico, anunciou hoje que votará contra o acordo do ‘Brexit’ negociado com Bruxelas pela primeira-ministra Theresa May, mesmo que isso signifique adiar a saída por um ano.

DUP vai votar contra acordo do 'Brexit' mesmo que signifique adiar saída por um ano

DUP vai votar contra acordo do ‘Brexit’ mesmo que signifique adiar saída por um ano

O partido da Irlanda do Norte DUP, aliado do Governo britânico, anunciou hoje que votará contra o acordo do ‘Brexit’ negociado com Bruxelas pela primeira-ministra Theresa May, mesmo que isso signifique adiar a saída por um ano.

“Não vamos deixar a primeira-ministra ou o grupo de ‘remainers’ [favoráveis à manutenção na União Europeia] forçar-nos a apoiar um acordo de ‘Brexit’ tóxico”, afirmou o deputado do DUP responsável pelo ‘Brexit’, Sammy Wilson, numa declaração publicada na rede social Twitter.

O DUP (sigla em inglês de Partido Unionista Democrático) é o maior dos partidos políticos da Irlanda do Norte e o quarto do Reino Unido.

A falta de apoio do DUP, em conjunto com os conservadores eurocéticos, levou a primeira-ministra britânica a suspender a intenção de submeter o Acordo de Saída a um terceiro voto no parlamento.

Numa crónica publicada no jornal The Daily Telegraph, Sammy Wilson adiantou que o DUP não apoia o acordo negociado por Theresa May a menos que passe a incluir medidas que impeçam uma ligação sem prazo do Reino Unido à UE.

Para Wilson, seria preferível um adiamento do ‘Brexit’ “por um ano”, que permitisse ao partido pronunciar-se sobre os temas que o afetam durante esse período.

“Poderíamos decidir sair unilateralmente ao fim desse período simplesmente ao não pedir uma nova extensão”, escreveu o deputado.

Para o dirigente unionista, essa “estratégia” seria melhor do que “aceitar voluntariamente” a “entrada na prisão do acordo de saída”, em que a “chave da porta da cela” está nas mãos do negociador-chefe da UE, Michel Barnier.

A par do Partido Conservador (eurocético), os dez deputados do DUP — que sustentam a maioria do Governo conservador na Câmara dos Comuns — têm criado os maiores obstáculos à primeira-ministra no objetivo de sair da UE, tendo descredibilizado o acordo negociado por Theresa May com Bruxelas.

Na semana passada, o Conselho Europeu concordou com uma prorrogação da data de saída do Reino Unido da UE até 22 de maio de 2019, desde que o Acordo de Saída seja aprovado pela Câmara dos Comuns até sexta-feira.

Se isso não acontecer, o Conselho Europeu estipulou uma prorrogação até 12 de abril de 2019 e disse que esperava que o Reino Unido indicasse um caminho a seguir antes dessa data para a consideração dos líderes europeus.

O Acordo foi chumbado pelo parlamento britânico a 12 de março por 391 votos contra e 242 votos a favor, uma diferença de 149 votos, repetindo o chumbo de janeiro por 432 votos contra e 202 contra, uma margem histórica de 230 votos.

Na quarta-feira, o parlamento britânico deverá debater alternativas ao Acordo negociado pelo governo com Bruxelas e chumbado duas vezes.

Na segunda-feira, Theresa May admitiu que o Governo continua sem apoio suficiente para fazer aprovar no parlamento o Acordo de Saída na Câmara dos Comuns, mas disse que continua a ter discussões com líderes e deputados de todos os partidos para tentar encontrar um consenso.

PMC (BM) // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS