Deputado independente espera “lufada de ar fresco” no Governo açoriano

O deputado independente no parlamento açoriano Carlos Furtado disse hoje esperar que a remodelação no Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) “traga uma lufada de ar fresco” à governação, apesar de “estranhar” a saída do titular da pasta das Finanças.

Deputado independente espera

Deputado independente espera “lufada de ar fresco” no Governo açoriano

O deputado independente no parlamento açoriano Carlos Furtado disse hoje esperar que a remodelação no Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) “traga uma lufada de ar fresco” à governação, apesar de “estranhar” a saída do titular da pasta das Finanças.

“Espero que essa remodelação governativa traga uma lufada de ar fresco à governação. Estarmos aqui a governar conforme governou o PS, sempre em função dos resultados eleitorais, não serve para os açorianos”, afirmou o deputado no parlamento regional, em declarações à agência Lusa.

Carlos Furtado disse que “o tamanho do Governo não incomoda muito”, considerando que realmente importa “um projeto integrante”.

“Preocupa-me é os custos desta orgânica. O que mais interessa aos açorianos é perceber se a governação está direcionada para um projeto integrante”, sublinhou.

Carlos Furtado, ex-deputado do Chega, disse também “estranhar” a saída do Secretário Regional das Finanças, Bastos e Silva, alegando que o antigo governante “era experiente e com provas dadas”.

“Percebo que era o momento de fazer alguma substituição, mas estranho a saída do Secretário das Finanças. Ele poderá ter tido a iniciativa de sair, porque há alturas da vida em que perdemos a paciência, se estamos a ser repreendidos por pessoas que ainda não provaram nada à sociedade e apontam o dedo como se fossem os paladinos da verdade”, apontou.

O presidente do Governo Regional dos Açores anunciou hoje uma remodelação do executivo (PSD/CDS-PP/PPM), que passa a ter menos duas secretarias regionais, implica a saída de quatro secretários (Finanças, Turismo, Cultura e Obras Públicas) e a entrada de dois.

Com esta remodelação, saem do executivo açoriano quatro secretários regionais: Joaquim Bastos e Silva (Finanças, Planeamento e Administração Pública), Mário Mota Borges (Turismo e Energia), Susete Amaro (Cultura, Ciência e Transição Digital) e Ana Carvalho (Obras Públicas e Comunicações).

O secretário regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, Duarte Freitas, passa a assumir as pastas das Finanças, Planeamento e Administração Pública, entrando para o seu cargo a ex-deputada social-democrata Maria João Carreiro.

A antiga líder do PSD/Açores Berta Cabral será a nova secretária regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, assumindo ainda a área da Energia.

O atual Governo Regional, que resulta de uma coligação entre PSD, CDS-PP e PPM e tem apoio parlamentar de outros três deputados (CH, IL e independente), tomou posse em novembro de 2020, depois de o PS, que governava a região há 24 anos, ter vencido as eleições sem maioria absoluta.

Na altura, José Manuel Bolieiro apresentou um executivo com 10 secretarias regionais e uma subsecretaria, para além de presidência e vice-presidência.

Um ano e cinco meses depois, o presidente do Governo Regional regressou ao Solar da Madre de Deus para apresentar ao Representante da República, Pedro Catarino, um executivo com menos secretarias regionais e novos titulares das pastas.

Mantêm-se no executivo, para além do presidente José Manuel Bolieiro, o vice-presidente Artur Lima, a secretária regional da Educação, Sofia Ribeiro, o secretário regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, o da Agricultura e Desenvolvimento Rural, António Ventura, o do Mar e das Pescas, Manuel São João, e o do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel.

Os novos secretários regionais tomam posse na terça-feira na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

A orgânica completa deverá ser publicada na quarta-feira, depois de aprovada em Conselho de Governo, na terça-feira à noite.

APE (CYB) // ACG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS