Defesa: Portugal cedeu hoje comando da missão da UE no Mali à República Checa

O general português João Boga Ribeiro entregou hoje o comando a um oficial da República Checa da Missão de Treino da União Europeia no Mali (EUTM Mali), numa cerimónia na capital, anunciou o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Defesa: Portugal cedeu hoje comando da missão da UE no Mali à República Checa

Defesa: Portugal cedeu hoje comando da missão da UE no Mali à República Checa

O general português João Boga Ribeiro entregou hoje o comando a um oficial da República Checa da Missão de Treino da União Europeia no Mali (EUTM Mali), numa cerimónia na capital, anunciou o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

O brigadeiro general português, que estava há seis meses na função, desde dezembro de 2019, recebeu a medalha, por serviços excecionais, da política de defesa e segurança comum da União Europeia (UE), segundo um comunicado hoje divulgado pelo EMGFA.

A transferência de comando da EUTM Mali para a autoridade da República Checa foi “realizada com a entrega do guião desta missão, do brigadeiro-general Boga Ribeiro para o brigadeiro-general Frantisek Ridzák”, segundo precisa o comunicado.

A área de operações Missão de Treino da União Europeia no Mali (EUTM-Mali), sob comando português e centrada em atividades de treino, foi alargada em maio, e passa “a ser cumprida numa área mais vasta e incluindo as Forças Armadas de outros países da região do Sahel”, segundo informou EMGFA em 26 de maio.

Na véspera, reuniu-se o Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN), e deu parecer favorável às “propostas de ajustamentos em calendário, objetivo de missão” das Forças Nacionais Destacadas, assim como “para a ampliação da área de atuação, nomeadamente para as atividades em curso na região da África Subsaariana”.

Inicialmente, tinha como “área de operações as localidades de Bamako e Koulikoro”, mas face aos “resultados positivos” os Estados-membros da União Europeia “aprovaram a extensão das atividades de treino a todo o território maliano, bem como a bases específicas em cada um dos restantes países do grupo ‘G5 Sahel’ (Chade, Burkina Faso, Mauritânia e Níger), tendo em vista a capacitação da ‘Força Conjunta G5 Sahel'”.

O “alargamento da área de operações da EUTM-Mali enquadra-se na abordagem global da União Europeia para a estabilização da crise securitária na região do Sahel”, lia-se na informação do EMGFA, em maio.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, visitou as tropas portuguesas no Mali em janeiro.

Em março, a União Europeia (UE) decidiu prolongar até 18 de maio de 2024 a sua missão militar no Mali, mobilizando quase 135 milhões de euros para a iniciativa.

A missão começou em 2013 e está sediada na capital do Mali, Bamako.

Desde 2012, o Mali tem sido confrontado com os ataques de grupos ‘jihadistas’, bem como com a violência intercomunitária que já provocou milhares de mortos e centenas de milhares de deslocados.

 

NS (ANE) // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS