Debate televisivo cancelado no Reino Unido após desmaio de apresentadora em direto

Um debate televisivo entre os dois candidatos a suceder Boris Johnson como líder do partido Conservador e primeiro-ministro britânico teve hoje de ser abandonado após o apresentadora ter desmaiado enquanto estava a decorrer.

Debate televisivo cancelado no Reino Unido após desmaio de apresentadora em direto

Debate televisivo cancelado no Reino Unido após desmaio de apresentadora em direto

Um debate televisivo entre os dois candidatos a suceder Boris Johnson como líder do partido Conservador e primeiro-ministro britânico teve hoje de ser abandonado após o apresentadora ter desmaiado enquanto estava a decorrer.

O antigo ministro das Finanças Rishi Sunak e a ministra dos Negócios Estrangeiros Liz Truss estavam a debater no canal Talk TV quando se ouviu um som estrondoso, levando Truss, que estava a responder, a mostrar uma cara assustada e a dizer “Oh meu Deus” antes de a emissão ser cortada.

A TalkTV explicou mais tarde num comunicado que a moderadora Kate McCann “desmaiou em direto esta noite e embora esteja bem, o conselho médico foi que não devíamos continuar com o debate”.

Sunak saudou as “boas notícias de que [a apresentadora] já está a recuperar” na rede social Twitter, enquanto Truss mostrou “alívio” e lamentou que “um debate tão bom tenha sido forçado a terminar”.

O debate foi organizado pelo tablóide The Sun e pela Talk TV, ambos detidos pelo grupo News UK do magnata Rupert Murdoch. 

McCann, editora de política da Talk TV, tinha inicialmente previsto apresentar o debate em conjunto com o editor de política do Sun, Harry Cole, mas este testou positivo à covid-19 esta manhã.

O incidente aconteceu cerca de meia hora depois do início do debate programado para durar uma hora, quando Truss e Sunak discutiam sobre impostos, como ajudar as famílias que lutam com o aumento do custo de vida e a melhor forma de financiar o Serviço Nacional de Saúde.

Os dois finalistas de uma lista inicial de oito candidatos estão a concorrer para a liderança do partido Conservador, da qual Johnson se demitiu a 07 de Julho após uma série de escândalos que desencadearam dezenas de demissões de membros do governo em dois dias.

A escolha vai ser feita por cerca de 180.000 militantes ‘tories’ num voto postal, sendo o anúncio da decisão esperado a 05 de setembro, no regresso dos trabalhos do parlamento após as férias de verão. 

No dia seguinte, Boris Johnson deverá apresentar a demissão de primeiro-ministro  à rainha Isabel II, a qual, segundo a tradição, pedirá ao novo líder do partido com a maioria parlamentar para formar governo. 

 

BM // SLX 

Lusa/fim 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS