Custo do trabalho aumenta 1,4% no 2.º trimestre - INE

Custo do trabalho aumenta 1,4% no 2.º trimestre – INE

O índice de custo do trabalho (ICT) aumentou 1,4% no segundo trimestre em termos homólogos, com os custos salariais e os outros custos a subirem 1,2% e 2,1%, respetivamente, divulgou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação homóloga do ICT de abril a junho resultou também do acréscimo de 0,2% do custo médio por trabalhador e do decréscimo de 1,1% do número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador.

No trimestre anterior, o ICT tinha registado um decréscimo homólogo de 1,3%.

De acordo com o INE, o decréscimo do número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador “foi transversal a todas as atividades económicas”, enquanto o acréscimo do custo médio por trabalhador ocorreu em todas as atividades, com exceção da Administração Pública, onde diminuiu.

Numa análise por setores de atividade económica, o INE indica que no subgrupo relativo ao setor privado da economia se verificou, no segundo trimestre, um acréscimo homólogo de 3,2% do ICT, enquanto “nas restantes atividades económicas, que incluem maioritariamente (mas não exclusivamente) atividades na esfera do setor público, o ICT apresentou um decréscimo homólogo de 0,7%”.

Entre as atividades que abrangem, genericamente, o setor privado da economia, no segundo trimestre, em termos homólogos, os custos salariais aumentaram 3,0% e os outros custos subiram 3,9%, enquanto o custo médio por trabalhador aumentou 1,3% e o número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador diminuiu 1,8%.

Neste subgrupo, o ICT aumentou 5,6% na indústria, 3,3% na construção e 1,7% nos serviços.

Já nas atividades na esfera do setor público, os custos salariais diminuíram 1,1% e os outros custos aumentaram 0,5%, enquanto o custo médio por trabalhador diminuiu 1,1%, “em parte, tal como no trimestre anterior, pela alteração no perfil de pagamento do subsídio de Natal, que em 2018 será pago integralmente no mês de novembro, o que não ocorreu em 2017 (quando 50% deste subsídio foi pago em regime de duodécimos e o remanescente no mês de novembro)”.

Por seu lado, o número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador diminuiu 0,4%.

De acordo com o INE, a informação mais recente disponível relativa à variação homóloga do ICT na União Europeia refere-se ao primeiro trimestre de 2018, apontando para uma evolução de 2,7%.

PD // MSF

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Custo do trabalho aumenta 1,4% no 2.º trimestre – INE

O índice de custo do trabalho (ICT) aumentou 1,4% no segundo trimestre em termos homólogos, com os custos salariais e os outros custos a subirem 1,2% e 2,1%, respetivamente, divulgou hoje o INE.