Crescimento de 5,5% este ano em Moçambique é o mais rápido da África Austral – ONU

As Nações Unidas estimam que Moçambique cresça 5,5% este ano devido aos esforços de reconstrução após os ciclones de 2019, sendo a economia que regista o mais rápido crescimento da África Austral.

Crescimento de 5,5% este ano em Moçambique é o mais rápido da África Austral - ONU

Crescimento de 5,5% este ano em Moçambique é o mais rápido da África Austral – ONU

As Nações Unidas estimam que Moçambique cresça 5,5% este ano devido aos esforços de reconstrução após os ciclones de 2019, sendo a economia que regista o mais rápido crescimento da África Austral.

De acordo com o relatório sobre a Situação Económica Mundial e Perspetivas, lançado hoje em Nova Iorque, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que Moçambique passe de um crescimento de 1,5% em 2019 para 5,5%, essencialmente devido aos esforços de reconstrução motivados pelos ciclones do ano passado.

“A situação económica na África Austral deteriorou-se em 2019, com várias economias em estagnação ou recessão num contexto de baixo investimento, faltas de energia, elevado desemprego e clima catastrófico”, lê-se no documento, que dá conta que estas economias do sul de África devem ter crescido 0,3% em 2019 e deverão acelerar para 0,9% este ano e 1,9% em 2021.

Comentando o relatório, a especialista em assuntos económicos do Departamento Económico da ONU Helena Afonso afirmou, citada pela ONU News, que a médio prazo “as condições económicas continuam complicadas, porque a economia continua muito exposta não só ao clima, mas também aos ciclos económicos, nomeadamente o preço das matérias primas”.

Tudo isto acontece “num contexto em que é importante manter a dívida externa num caminho de sustentabilidade”, concluiu a economista.

A dívida pública elevada é “um desafio para vários países africanos, limitando a capacidade de implementar políticas contracíclicas e socialmente inclusivas”, refere-se no documento, que elenca Moçambique como um dos vários países em que a dívida pública ultrapassa os 100%, ao lado de Cabo Verde, Congo, Djibouti, Eritreia e Sudão.

Na última década, lembra-se no relatório, “o crescimento da dívida pública foi motivado por políticas orçamentais expansionistas e pelo impacto da queda do preço das matérias primas em 2014 e 2015, para além da motivação dos investidores, que buscavam taxas de retorno elevadas”.

Juntando a sua voz a vários outros organismos financeiros internacionais, a ONU diz que “a recente subida na emissão de dívida em moeda estrangeira tem levantado preocupações relativamente à sustentabilidade da dívida, já que as perspetivas de evolução das economias permanece frágil”.


PIB……………….2019…….2020…….2021
Angola…………….-1,5…….-1,0……..1,5
Cabo Verde………….4,8……..4,6……..4,6
Guiné Equatorial……-2,5…….-2,9…….-2,6
Guiné-Bissau………..4,9……..4,6……..5,2
Moçambique………….1,5……..5,5……..6,0
São Tomé e Príncipe….3,0……..3,5……..4,6

Fonte: Relatório ‘Situação Económica Mundial e Perspetivas’, da ONU


MBA // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS