CPLP recebeu manifestação de interesse de três países para observador associado

Três países manifestaram interessse em aderir à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) como observadores associados, disse hoje o embaixador cabo-verdiano junto da organização, no final de uma reunião em Lisboa.

CPLP recebeu manifestação de interesse de três países para observador associado

CPLP recebeu manifestação de interesse de três países para observador associado

Três países manifestaram interessse em aderir à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) como observadores associados, disse hoje o embaixador cabo-verdiano junto da organização, no final de uma reunião em Lisboa.

O coordenador da reunião extraordinária do comité de concertação permanente da CPLP, Eurico Monteiro, embaixador de Cabo Verde em Lisboa, não revelou quais os países que apresentaram “manifestações de interesse” à organização lusófona, mas sublinhou que “haverá muito provavelmente processos formais de candidatura já no princípio do ano”.

Depois da reunião do comité de concertação permanente, com a presença da secretária executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, o diplomata cabo-verdiano adiantou que os países que avançaram com a intenção de ser observador associado da CPLP pertencem aos “continentes europeu e africano e, muito provavelmente, ao continente americano”.

Eurico Monteiro lembrou que, nos últimos dois anos, a CPLP aumentou para mais do dobro o número de observadores associados da organização de expressão portuguesa, com Portugal, Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Brasil, Cabo Verde, Timor-Leste e Guiné-Equatorial como Estados-membros.

“No decurso de dois anos, crescemos com mais dez observadores associados. De nove passámos para 19 observadores. São nove os países-membros e temos o dobro de observadores associados”, salientou Eurico Monteiro.

O também embaixador de Cabo Verde junto da CPLP considerou que a organização “está suficientemente divulgada e constitui um palco e uma plataforma de interesse suficiente capaz de gerar outras manifestações num futuro próximo”.

Eurico Monteiro referiu também que a CPLP tem a “preocupação de criar um ambiente que seja propício em desenvolver relações mais estreitas com os seus associados, para que haja um maior entrosamento”.

“Todos estamos associados a este projeto, uns na condição de membro, outros de observador associado”, acrescentou, referindo que a reunião de hoje – à qual não compareceram apenas os representantes da Namíbia e Maurícia de entre os 19 observadores associados da CPLP – pretendeu reforçar a cooperação e fomentar “o entrosamento” com os observadores associados.

Eurico Monteiro afirmou ainda que, além do balanço das atividades dos observadores associados e das ações em curso, a reunião extraordinária de hoje, na sede da CPLP, na capital portuguesa, permitiu discutir “a matriz de cooperação estratégica entre os Estados-membros e os observadores associados”.

“Queríamos identificar as áreas de interesse estratégico para a CPLP, nas quais se pudessem desenvolver ações de cooperação mais intensas, mais eficazes e mais eficientes com os observadores associados. Esta matéria vai ser retomada, também precisa de ser um pouco mais especializada entre os países-membros, para depois ser concertada e afinada e resultar numa matriz que seja capaz de responder às preocupações da CPLP”, afirmou.

Outro ponto relevado pelo embaixador foi a “montagem da rede de pontos focais de pontos de cooperação e setoriais, de modo a que seja possível ter interlocutores nas várias secções e departamentos da administração pública dos observadores associados, para permitir uma comunicação mais fluída e eficiente e uma maior articulação”.

No encontro, foram ainda abordadas as iniciativas dos observadores associados para a promoção da língua portuguesa e da diversidade cultural da CPLP.

Atualmente, têm a categoria de observador associado a Geórgia, Luxemburgo, Hungria, Japão, Andorra, Reino Unido, Argentina, República Checa, República do Chile, Eslováquia, França, Maurícia, Itália, Namíbia, Uruguai, Senegal, Sérvia, Turquia e Organização de Estados Ibero-americanos (OEI).

Estes Estados assumiram um compromisso com os objetivos da CPLP e os seus princípios orientadores, reforçando a possibilidade de aprofundar laços ao nível político, económico e cultural, podendo contribuir para prosseguir a promoção e difusão, ensino e aprendizagem da língua portuguesa.

JOP // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS