CPLP: Angola quer mais aposta nas áreas económica e empresarial durante o seu mandato

O chefe da diplomacia angolana disse hoje que Angola vai defender, no seu mandato, o crescimento das vertentes económica e empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), propondo ainda a revisão dos instrumentos jurídicos da organização.

CPLP: Angola quer mais aposta nas áreas económica e empresarial durante o seu mandato

CPLP: Angola quer mais aposta nas áreas económica e empresarial durante o seu mandato

O chefe da diplomacia angolana disse hoje que Angola vai defender, no seu mandato, o crescimento das vertentes económica e empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), propondo ainda a revisão dos instrumentos jurídicos da organização.

Em conferência de imprensa, Téte António abordou o programa da XIII cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorrerá em Luanda para a semana, e destacou a importância da área económica como um dos vetores que Angola tenciona desenvolver, durante a sua presidência da organização, que tem agora início.

O objetivo é “aproveitar também que a organização está sendo sujeita a muito interesse” de outros países, como vários novos observadores associados, explicou.

O ministro salientou que estão confirmadas as presenças dos Presidentes de Portugal (Marcelo de Sousa), de Cabo Verde, (Jorge Carlos Fonseca), da Guiné-Bissau (Umaro Sissoco Embaló), de Moçambique (Filipe Nyusi), de São Tomé e Príncipe (Evaristo Carvalho) e da Guiné Equatorial (Teodoro Obiang), bem como o chefe de Estado da Namíbia, Hage Geingob, em representação dos Estados observadores.

O Brasil estará representado pelo seu vice-Presidente, Hamilton Mourão, e Timor-Leste, pelo vice-primeiro-ministro, José Maria dos Reis.

Segundo o ministro, participam igualmente da reunião os primeiros-ministros de Portugal (António Costa), Cabo Verde (Ulisses Correia e Silva) e de São Tomé e Príncipe (Jorge de Bom Jesus).

Para os dias 12 e 13 de julho está prevista a reunião dos pontos focais da cooperação e para 14 de julho a reunião do grupo técnico do Comité de Concertação Permanente do Conselho de Ministros.

No dia 15 de julho decorre a reunião do Comité Permanente, estando também previstos eventos à margem da XIII cimeira, nomeadamente a mesa-redonda sobre a Cooperação Económica Empresarial, no Ministério da Economia e Planeamento.

Já no dia 16 de julho está marcada a 26ª reunião ordinária do Conselho de Ministros, acontecendo no dia seguinte a XIII conferência dos chefes de Estado e do Governo, que abordará o tema do fortalecimento e promoção da cooperação económica empresarial, em tempos de pandemia, em prol do desenvolvimento sustentável dos países.

“Este tema vai animar o debate dos chefes de Estado. Angola vai assumir a presidência durante esse período e como sabem o grande foco de Angola como diz o lema está na cooperação económica”, disse o ministro.

Para fechar o evento, que coincide com os 25 anos de existência da CPLP, será realizada no final da cimeira uma atividade cultural, em que grupos de todos os Estados-membros serão representados.

O ministro das Relações Exteriores de Angola disse que além do tema que propôs, Angola vai dar continuidade a temas tradicionais da organização, como a mobilidade, cuja assinatura do acordo acontece durante a cimeira.

A XIII Conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que marca a passagem da presidência rotativa desta comunidade de países de Cabo Verde para Angola, decorrerá em formato presencial.

Criada há 25 anos, a CPLP tem atualmente nove Estados-membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Guiné Equatorial.

NME // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS