Covid-19: Reino Unido regista 595 mortes e total ultrapassa 50 mil 

O Reino Unido registou 22.950 novas infeções e 595 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo desta segunda vaga, fazendo o balanço oficial ultrapassar as 50 mil mortes.

Covid-19: Reino Unido regista 595 mortes e total ultrapassa 50 mil 

Covid-19: Reino Unido regista 595 mortes e total ultrapassa 50 mil 

O Reino Unido registou 22.950 novas infeções e 595 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo desta segunda vaga, fazendo o balanço oficial ultrapassar as 50 mil mortes.

Londres, 11 nov 2020 (Lusa) – O Reino Unido registou 22.950 novas infeções e 595 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo desta segunda vaga, fazendo o balanço oficial ultrapassar as 50 mil mortes, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico.

O total acumulado desde o início da pandemia covid-19 no Reino Unido é agora de 1.256.725 contágios confirmados e de 50.365 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo.

Na terça-feira tinham sido registadas 532 mortes de covid-19, um novo máximo desde meados de maio, e 20.412 novos casos, valores mais elevados do que nos dias anteriores porque os dados do fim de semana são frequentemente afetados pelo atraso no processamento.

Nos últimos sete dias registaram-se 2.623 mortes, uma média de 375 por dia, mais 27% do que nos sete dias anteriores. 

Hoje, o governo britânico revelou hoje estar a planear o regresso faseado de centenas de milhares de estudantes universitários a casa no Natal para evitar um novo surto de casos do novo coronavírus.

Os cientistas acreditam que o início do ano académico em setembro foi uma das causas da atual vaga de infeções no Reino Unido, resultando em surtos em campus universitários e alunos confinados em residências.

A ideia é evitar um êxodo em massa, organizando as saídas de estudantes num período de nove dias após o fim do atual confinamento nacional de quatro semanas na Inglaterra, que termina em 02 de dezembro.

Os estudantes serão sujeitos a testes de resultados rápidos antes de viajarem. 

A diretora geral adjunta de Saúde em Inglaterra Jenny Harries disse que “o movimento em massa de estudantes em todo o país no final do período letivo representa um desafio realmente significativo na resposta da covid-19”, mas que estas medidas reduziriam o risco.

 

BM // EL

Lusa/fim 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS