Covid-19: Reino Unido regista 194 mortes, governo prudente sobre vacina

O primeiro-ministro britânico mostrou-se prudente perante o anúncio das farmacêuticas Pfizer e BionNTech de que a sua vacina se mostrou eficaz contra a covid-19 em 90% dos casos testados.

Covid-19: Reino Unido regista 194 mortes, governo prudente sobre vacina

Covid-19: Reino Unido regista 194 mortes, governo prudente sobre vacina

O primeiro-ministro britânico mostrou-se prudente perante o anúncio das farmacêuticas Pfizer e BionNTech de que a sua vacina se mostrou eficaz contra a covid-19 em 90% dos casos testados.

Londres, 09 nov 2020 (Lusa) – O Reino Unido registou 194 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas e 21.350 novas infeções, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico.

No domingo tinham sido registadas 156 mortes de covid-19 e 20.572 novos casos, valores mais baixos do que nos dias anteriores, embora os dados do fim de semana sejam frequentemente afetados pelo atraso no processamento.

Nos últimos sete dias registaram-se 2.385 mortes, uma média de 341 por dia, mais 29% do que no período homólogo anterior. 

O total acumulado desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido é agora de 1.213.363 contágios confirmados e de 49.238 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo.

Porém, o balanço aumenta para 60.051 quando se incluem todos os casos cuja certidão de óbito refere a covid-19.

“Superámos um obstáculo significativo, mas ainda há vários outros antes de sabermos se a vacina pode ser usada. O que posso dizer é que se e quando essa vacina for aprovada, nós, neste país, estaremos prontos para começar a usá-la”, afirmou. 

O Reino Unido encomendou 40 milhões de doses, o suficiente para cerca de um terço da população, já que são necessárias duas doses cada.

Entretanto, o governo autónomo do País de Gales terminou hoje um confinamento temporário que encerrou escolas e a maioria do comércio durante 17 dias, embora tenha reconhecido que é cedo para dizer se foi suficiente para reduzir o aumento no número de infeções.

O confinamento foi decretado em 23 de outubro, duas semanas antes de o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decretar num bloqueio de 28 dias em Inglaterra.

O primeiro-ministro galês, Mark Drakeford, disse existirem alguns sinais de que o bloqueio funcionou, com a média do número de novos casos nos últimos sete dias a cair de 250 por 100.000 habitantes para menos de 220 casos por 100.000 habitantes.

A partir de hoje, as pessoas podem se reunir novamente em pequenos grupos, e bares, restaurantes e cabeleireiros podem reabrir, mas viagens não essenciais para e de Inglaterra continuam interditas e é recomendado o teletrabalho.

 

BM // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS