Covid-19: Moçambique recebe mais de 320 mil doses de vacinas da Noruega e Bélgica

Moçambique recebeu hoje cerca de 330 mil doses de vacinas contra o novo coronavírus doadas pelos governos da Noruega e da Bélgica, no âmbito do mecanismo internacional Covax de apoio à vacinação, anunciaram as entidades num comunicado conjunto.

Covid-19: Moçambique recebe mais de 320 mil doses de vacinas da Noruega e Bélgica

Covid-19: Moçambique recebe mais de 320 mil doses de vacinas da Noruega e Bélgica

Moçambique recebeu hoje cerca de 330 mil doses de vacinas contra o novo coronavírus doadas pelos governos da Noruega e da Bélgica, no âmbito do mecanismo internacional Covax de apoio à vacinação, anunciaram as entidades num comunicado conjunto.

Segundo o comunicado, 179.800 doses de vacinas foram doadas pelo Governo norueguês e 149.760 pela Bélgica, totalizando 329.560 doses.

De acordo com o documento, a doação “complementa as 1.318.560 doses de vacina já obtidas pelo Governo” moçambicano, com o apoio de “vários parceiros, no âmbito da iniciativa Covax”.

Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde, cerca de dois milhões de pessoas foram vacinadas em Moçambique, quase 12% dos 17 milhões de pessoas que o Governo pretende abranger até final de 2022.

Arrancou hoje no país a terceira fase de vacinação contra a covid-19, prevendo-se abranger cerca de sete milhões de pessoas até março de 2022, entre as quais mulheres grávidas e lactantes com pelo menos 18 anos e três semanas de gestação, segundo as autoridades de Saúde.

O processo de vacinação contra o novo coronavírus em Moçambique iniciou-se em março, abrangendo grupos prioritários, entre os quais profissionais de saúde e agentes da polícia, seguindo-se em agosto a vacinação em massa.

Moçambique tem um total acumulado de 1.927 mortes e 151.136 casos, dos quais 98% recuperados.

A covid-19 provocou pelo menos 4.902.638 mortes em todo o mundo, entre mais de 241,03 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

LYN // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS