Covid-19: Macau vai a Pequim apresentar-se como destino turístico “saudável e seguro”

Macau vai realizar uma promoção turística no início do próximo ano na cidade chinesa de Xangai para cativar os turistas chineses, mostrando-se como “destino saudável e seguro” de covid-19, sem casos há mais de cinco meses.

Covid-19: Macau vai a Pequim apresentar-se como destino turístico

Covid-19: Macau vai a Pequim apresentar-se como destino turístico “saudável e seguro”

Macau vai realizar uma promoção turística no início do próximo ano na cidade chinesa de Xangai para cativar os turistas chineses, mostrando-se como “destino saudável e seguro” de covid-19, sem casos há mais de cinco meses.

Em setembro, após a retomada da emissão de vistos individuais e de grupo da China para Macau, a capital mundial do jogo organizou uma semana de atividades de promoção em Pequim.

Agora, Macau vai realizar entre “07 e 10 de janeiro de 2021, a atividade promocional da Semana de Macau em Xangai, para transmitir aos visitantes do Interior da China a mensagem de que Macau é um destino saudável e seguro para visitar”, indicou o Governo em comunicado.

Além disso, lê-se na mesma nota, outro dos objetivos é “promover a situação atual e as vantagens de Macau nas áreas de turismo, comércio, cultura, desporto, entretenimento e gastronomia, entre outras, atraindo os visitantes do Interior da China a Macau durante os feriados e festividades”.

Macau é um dos casos de sucesso contra a covid-19, já que as medidas sanitárias se mostraram eficazes – desde 26 de junho que não é detetado qualquer caso -, mas que paralisaram praticamente a economia, quase exclusivamente dependente da indústria dos casinos e do turismo chinês.

Em 23 de setembro, as autoridades chinesas retomaram a emissão de vistos individuais e de grupo para o território, suspensos desde o início da pandemia, o que tem resultado numa subida gradual dos visitantes na capital mundial do jogo, ainda que muito abaixo de uma média mensal de cerca de três milhões de visitantes, em 2019.

As incertezas no território ainda são muitas, com as operadoras de jogo a apresentarem centenas de milhões de euros em prejuízos no terceiro trimestre do corrente ano.

Os casinos de Macau tinham fechado 2019 com receitas de 292,4 mil milhões de patacas (cerca de 24,7 mil milhões de euros).

MIM // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS