Covid-19: Macau prepara voo para ir buscar a 01 de junho estudantes do território em Xangai

Macau está a preparar um voo especial para 01 de junho para ir buscar a Xangai residentes do território a estudar naquela cidade chinesa, anunciaram hoje as autoridades.

Covid-19: Macau prepara voo para ir buscar a 01 de junho estudantes do território em Xangai

Covid-19: Macau prepara voo para ir buscar a 01 de junho estudantes do território em Xangai

Macau está a preparar um voo especial para 01 de junho para ir buscar a Xangai residentes do território a estudar naquela cidade chinesa, anunciaram hoje as autoridades.

“A Air Macau obteve o consentimento preliminar das autoridades competentes de Xangai e irá envidar esforços para fornecer um voo especial em 01 de junho”, lê-se num comunicado divulgado hoje pela Direção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) do território.

Um surto de covid-19 em Xangai, no leste da China, levou as autoridades chinesas a impor um confinamento quase total da cidade, com cerca de 25 milhões de habitantes, há cerca de dois meses.

No final de abril, a presidente de uma associação de universitários de Macau em Xangai disse à Lusa que cerca de 140 estudantes queriam regressar ao território e que o governo da região administrativa especial chinesa tinha pedido cooperação com as medidas anti-pandémicas em vigor.

Em meados de março, a associação College já tinha contactado as autoridades de Macau, “mas todos os departamentos [governamentais] indicaram não existir forma de resolver o problema do regresso dos estudantes”, afirmou Coco Choi.

Choi descreveu que, devido às políticas anticovid-19 na capital económica chinesa, os estudantes enfrentavam condições difíceis.

“Algumas universidades fecharam os dormitórios, os estudantes não conseguem sair do quarto. Algumas universidades fecharam as casas de banho e os estudantes não podem tomar banho, sendo que alguns estudantes queixaram-se que não têm refeições suficientes”, esclareceu.

As autoridades de Macau adiantaram, no entanto, que, naquele momento, não havia voos de Xangai para o território.

No comunicado emitido hoje pela DSEDJ lê-se que, “em meados de maio, a epidemia em Xangai encontrava-se efetivamente controlada”, mas que o facto dos “serviços aeroportuários estarem ainda limitados”, continuava a impossibilitar a organização de voos para Macau.

Contudo, ressalvou a nota, nos últimos dias, houve progressos nas negociações entre as duas cidades.

“Após coordenar com a Air Macau, a DSEDJ irá contactar os estudantes, a fim de recolher os materiais necessários à aquisição das passagens aéreas em Macau”, concluiu.

No início da pandemia da covid-19, detetada em Wuhan, no centro do país, as autoridades de Macau fretaram um avião para trazer residentes retidos na cidade. Posteriormente, o governo prestou assistência ao regresso de estudantes do território na Europa.

No último surto de covid-19, na região adjacente de Hong Kong, as autoridades providenciaram o regresso dos residentes de Macau.

O Governo chinês continua a implementar uma estratégia de ‘tolerância zero’ à doença, que inclui o isolamento de todos os casos positivos e o bloqueio de cidades inteiras.

A covid-19 causou mais de seis milhões de mortos em todo o mundo desde o início da pandemia, em 2020.

CAD (JYW/EJ) // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS