Covid-19: Hospital de Ponta Delgada esgotou dois terços do oxigénio

O Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, já esgotou dois terços da sua capacidade de consumo de oxigénio com doentes de covid-19.

Covid-19: Hospital de Ponta Delgada esgotou dois terços do oxigénio

Covid-19: Hospital de Ponta Delgada esgotou dois terços do oxigénio

O Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, já esgotou dois terços da sua capacidade de consumo de oxigénio com doentes de covid-19.

O Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, já esgotou dois terços da sua capacidade de consumo de oxigénio com doentes de covid-19, revelou nesta quarta-feira o secretário regional da Saúde.

“Temos 15 internados no Hospital do Divino Espírito Santo, sete dos quais em unidade de cuidados intensivos […]. Dois terços do consumo de oxigénio permitido já estão esgotados. São 229 litros, numa capacidade de 280 a 300 litros“, afirmou o secretário da Saúde, Clélio Meneses.

O governante sublinhou que a situação está ainda “controlada“, mas disse que merece uma atenção especial.

“É preciso estar atento, estamos a acompanhar, estamos a controlar. Se isto descontrolar, se passamos o nível de descontrolo e de falta de capacidade de resposta teremos problemas intensos“, salientou.

Segundo Clélio Meneses, há já contactos entre o hospital de Ponta Delgada e o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, para existir, se houver necessidade, uma partilha de equipamentos ou recursos humanos.

“Há possibilidade de transferir doentes e de enviar recursos humanos do Hospital de Santo Espírito para o Hospital do Divino Espírito Santo”, adiantou.

São Miguel tem 99% dos casos ativos dos Açores

O secretário regional da Saúde reiterou, no entanto, que a testagem intensa que se está a realizar em São Miguel permite assegurar que a situação pandémica está controlada.

“É através desta testagem regular, intensa, nalguns casos massiva, com a identificação dos casos positivos, com a identificação de todos os contactos de primeiro e segundo nível, de alto e de baixo risco, que se pode dizer que a situação está controlada, porque estamos a acompanhar no momento todas as situações que vão surgindo”, frisou.

A ilha de São Miguel concentra 340 dos 343 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus nos Açores e tem casos detetados em 40 freguesias, “predominantemente da estirpe inglesa”.

Quatro dos seis concelhos da ilha (Vila Franca do Campo, Nordeste, Ribeira Grande e Lagoa) tiveram mais de 100 casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias, passando ao nível de alto risco de transmissão, a partir das 00h00 de sexta-feira.

Os restantes dois concelhos (Ponta Delgada e Povoação) ficarão igualmente sujeitos às medidas de alto risco, tendo em conta que mais de 50% dos concelhos da ilha estão neste nível de risco.

LEIA AINDA
«Não haverá regresso à normalidade tal e qual a vivíamos», avisa ministra da Saúde
«Não haverá regresso à normalidade tal e qual a vivíamos», avisa ministra da Saúde
«Não haverá um regresso à normalidade tal e qual a vivíamos», avisou Marta Temido, ministra da Saúde, em conferência de imprensa. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS