Covid-19: Espanha levanta restrições com o Reino Unido mas mantém com Brasil e África do Sul

Espanha levantou as restrições à entrada por via aérea e marítima de passageiros do Reino Unido, mas prolongou as que estão em vigor nos voos do Brasil e da África do Sul até meados de abril.

Covid-19: Espanha levanta restrições com o Reino Unido mas mantém com Brasil e África do Sul

Covid-19: Espanha levanta restrições com o Reino Unido mas mantém com Brasil e África do Sul

Espanha levantou as restrições à entrada por via aérea e marítima de passageiros do Reino Unido, mas prolongou as que estão em vigor nos voos do Brasil e da África do Sul até meados de abril.

“As restrições são mantidas com a África do Sul e o Brasil” até 13 de Abril, “mas não com o Reino Unido”, onde o programa de vacinação contra o Covid-19 está muito avançado, disse hoje a ministra porta-voz do Governo espanhol, Maria Jesús Montero, depois do Conselho de Ministros semanal.

Os cidadãos britânicos devem a partir de agora estar sujeitos às mesmas regras em vigor no espaço Schengen, que exigem um teste PCR negativo para transitar entre países, explicou a porta-voz.

No entanto, Madrid decidiu manter as limitações dos voos chegados do Brasil e da África do Sul, para tentar impedir a propagação das variantes da pandemia de covid-19 detetadas nestes países, que “ainda têm pouca prevalência em Espanha”.

Desta forma, as restrições foram prorrogadas para os viajantes chegados destes dois países pela quarta vez, entrando em vigor a partir das 18:00 de 30 de março até às 00:00 de 13 de abril.

O regulamento apenas permite voos que transportem cidadãos de Espanha e de Andorra e residentes nestes países, bem como passageiros em trânsito internacional para um país não-Schengen com uma escala inferior a 24 horas, que não saiam da zona de trânsito dos aeroportos espanhóis.

A Espanha é um dos países europeus mais atingidos pela pandemia, com mais de 3,2 milhões de casos confirmados e mais de 73.000 mortes.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.732.899 mortos no mundo, resultantes de cerca de 123,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.794 pessoas dos 818.212 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

FPB // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS