Covid-19: Engenho explosivo deflagrou junto a centro de despistagem na Holanda

Um engenho explosivo deflagrou hoje junto de um centro de despistagem de covid-19 em Bovenkarpsel, no norte dos Países Baixos, disse a polícia, acrescentando que não há vítimas a lamentar.

Covid-19: Engenho explosivo deflagrou junto a centro de despistagem na Holanda

Covid-19: Engenho explosivo deflagrou junto a centro de despistagem na Holanda

Um engenho explosivo deflagrou hoje junto de um centro de despistagem de covid-19 em Bovenkarpsel, no norte dos Países Baixos, disse a polícia, acrescentando que não há vítimas a lamentar.

A explosão foi causada por um engenho caseiro, segundo a polícia, que está a investigar a situação.

A imposição, no final de janeiro, do recolhimento obrigatório nos Países Baixos, no âmbito do combate à propagação da pandemia, tem causado muitos protestos no país, com manifestações violentas e os distúrbios mais graves das últimas décadas.

“Um explosivo explodiu às 06:55 [05:55 em Lisboa], perto do centro de testes do serviço público de saúde local, em Bovenkarspel. As janelas ficaram destruídas, mas não houve feridos. A polícia está a investigar e o perímetro foi isolado”, disse a polícia em comunicado.

Os serviços de desminagem foram chamados ao local para determinar se o material explosivo ainda lá está, acrescentou a televisão estatal.

“Por enquanto, não excluímos nenhuma pista e ainda não podemos dizer nada sobre os motivos, [mas] está a decorrer uma investigação”, afirmou o porta-voz da força policial da província da Holanda do Norte, Menno Hartenberg.

O dispositivo, um objeto de metal parecido com uma lata, foi colocado “naquele local e explodiu perto da fachada do centro de testes”, acrescentou.

O incidente ocorreu numa zona próxima do local onde um centro de testes foi incendiado, em janeiro passado, na vila de Urk, província de Flevoland, quando entrou em vigor o recolhimento obrigatório para combater a covid-19.

Há uma longa tradição antivacinação entre os protestantes conservadores do chamado “Cinturão da Bíblia” no centro da Holanda – que inclui a área da vila de pescadores de Urk, onde os primeiros distúrbios eclodiram no final de janeiro.

O Cinturão da Bíblia é uma zona do país que inclui várias cidades e onde vivem grupos de protestantes que seguem uma orientação literal da Bíblia, o que significa que não reconhecem conceitos científicos como a evolução.

Os distúrbios em Urk abalaram o país durante vários dias e provocaram confrontos entre a polícia de choque e grupos de manifestantes em várias cidades, como Amesterdão e Roterdão, também palco de saques. Dezenas de pessoas foram presas.

O recolher obrigatório, em vigor entre as 21:00 e as 04:30 até pelo menos 15 de março, é o primeiro no país desde a Segunda Guerra Mundial e foi alvo, na semana passada, de uma batalha judicial lançada por um grupo que se opõe às restrições sanitárias.

Um tribunal de primeira instância ainda chegou a considerar ilegal o recolher obrigatório, mas um recurso interposto pelo Governo anulou o cancelamento da imposição.

A pandemia de covid-19 já matou 15.649 pessoas no país, que tem pouco mais de 17 milhões de habitantes.

Desde o início da campanha de vacinação, em 06 de janeiro, já foram administradas mais de 1,3 milhões de doses, segundo o Governo.

PMC (PSP) // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS