Covid-19: Emmanuel Macron anula visita ao Mali devido à crise da pandemia

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anulou uma deslocação prevista ao Mali, onde se reuniria com o presidente de transição e celebraria o Natal com as tropas francesas, devido à crise sanitária da covid-19, anunciou hoje a Presidência francesa.

Covid-19: Emmanuel Macron anula visita ao Mali devido à crise da pandemia

Covid-19: Emmanuel Macron anula visita ao Mali devido à crise da pandemia

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anulou uma deslocação prevista ao Mali, onde se reuniria com o presidente de transição e celebraria o Natal com as tropas francesas, devido à crise sanitária da covid-19, anunciou hoje a Presidência francesa.

“A decisão foi tomada em coerência com as medidas anunciadas a nível nacional e a agenda internacional do Presidente, e visou ainda não expor o nosso dispositivo militar num momento de degradação da situação sanitária na metrópole”, acrescentou o Eliseu.

O anúncio do cancelamento foi feito no final de uma reunião do Conselho de Defesa Sanitária, em que foram avaliadas novas medidas face à quinta vaga de covid-19 e da variante altamente contagiosa Ómicron.

Paris tinha anunciado na quarta-feira que Macron viajaria na próxima segunda-feira para Bamaco, para um primeiro encontro com o coronel Assimi Goita, num clima de grande tensão entre Paris e a junta militar no poder desde 2020, cuja lentidão no processo de devolução do poder aos civis e a possibilidade de recorrer a mercenários russos exasperou Paris.

No comunicado divulgado hoje, a Presidência destacou que a organização da reunião com Goita foi difícil.

Emmanuel Macron pretendia que na reunião participassem igualmente os presidentes em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) — o chefe de Estado do Gana, Nana Akufo-Addo – e do G5 Sahel — o chefe de Estado do Chade, Mahamat Idriss Déby It, um formato rejeitado pelas autoridades chadianas, que pretendiam em alternativa um encontro bilateral.

No final da sua curta visita a Bamaco, o Presidente francês deveria partir para celebrar o Natal com as tropas francesas na noite de segunda-feira, na base de Gao (nordeste), integradas na operação Barkhane, montada pela França para combater os grupos ‘jihadistas’.

A operação Barkhane está atualmente em fase de reestruturação.

Após quase nove anos de presença no Sahel, a França começou em junho a reorganizar o seu sistema militar, deixando as suas três bases situadas na região norte do Mali (Tessalit, Kidal e Tombuctu) para se concentrar novamente em Gao e Ménaka, nas fronteiras com o Níger e o Burkina Faso.

Esse plano de reestruturação prevê a redução de efetivos franceses dos atuais 5.000 para entre 2.500 e 3.000 até 2023.

EL // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS