Covid-19: Arganil e Lamego recuam e outros três concelhos avançam no desconfinamento

Os concelhos de Arganil e Lamego vão recuar no processo de desconfinamento, enquanto outros três municípios e uma das freguesias de Odemira avançam e ficam a par da generalidade do país.

Covid-19: Arganil e Lamego recuam e outros três concelhos avançam no desconfinamento

Covid-19: Arganil e Lamego recuam e outros três concelhos avançam no desconfinamento

Os concelhos de Arganil e Lamego vão recuar no processo de desconfinamento, enquanto outros três municípios e uma das freguesias de Odemira avançam e ficam a par da generalidade do país.

Lisboa, 13 mai 2021 (Lusa) — Os concelhos de Arganil e Lamego vão recuar no processo de desconfinamento, no âmbito da pandemia, enquanto outros três municípios e uma das freguesias de Odemira avançam e ficam a par da generalidade do país, anunciou hoje o Governo.

Na conferência de imprensa após a reunião semanal do Conselho de Ministros, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou que Arganil e Lamego regridem para regras definidas em 19 de abril e que o concelho de Resende se mantém onde já estava na semana passada, no nível de desconfinamento equivalente às regras de 05 de abril.

Por outro lado, os concelhos de Cabeceiras de Basto – que tinha recuado há apenas uma semana -, Carregal do Sal e Paredes vão avançar para a quarta fase de desconfinamento, a par da generalidade do país, depois de recuperarem dos níveis de incidência da covid-19.

Segundo a ministra, também a freguesia de Longueira-Almograve, em Odemira, que foi sujeita a uma cerca sanitária, está em condições de acompanhar o resto do país.

Já em São Teotónio, no mesmo concelho, onde se mantêm ainda níveis de incidência elevados, embora sem transmissão comunitária, a freguesia dá um passo em frente no desconfinamento, passando a estar sujeita às regras que vigoraram a partir de 05 de abril para a generalidade do país, “essencialmente abertura de lojas e permissão de frequência de esplanadas”, acrescentou a governante.

A ministra destacou que há sete concelhos que estavam em alerta na semana passada e que se mantêm em alerta, há cinco concelhos que passam a estar em situação de alerta e há 14 concelhos que deixam de estar em situação de alerta.

“Temos mais concelhos a sair de níveis acima de 120 [casos por 100 mil habitantes] do que concelhos a entrar em níveis acima de 120 [casos por 100 mil habitantes] e isso é um retrato do país”, sublinhou.

RCS // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS