Covid-19: Afreximbank deu 3,5 mil milhões de dólares aos países africanos até junho

O Banco Africano de Exportações e Importações desembolsou 3,5 mil milhões de dólares em apoio aos países africanos no combate à pandemia, superando os 3 mil milhões inicialmente previstos.

Covid-19: Afreximbank deu 3,5 mil milhões de dólares aos países africanos até junho

Covid-19: Afreximbank deu 3,5 mil milhões de dólares aos países africanos até junho

O Banco Africano de Exportações e Importações desembolsou 3,5 mil milhões de dólares em apoio aos países africanos no combate à pandemia, superando os 3 mil milhões inicialmente previstos.

Em 30 de junho, o banco já tinha desembolsado mais de 3,5 mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros) ao abrigo do Instrumento de Mitigação do Impacto no Comércio da Pandemia (PATIMFA, na sigla em inglês), depois de garantir, no final de março, um novo financiamento de 830 milhões de euros para canalizar a ajuda aos países mais vulneráveis aos efeitos da covid-19, lê-se numa nota enviada à Lusa.

No princípio de março, o Afreximbank aprovou o PATIMFA, no valor de 3 mil milhões de dólares, cerca de 2,5 mil milhões de euros, para “apoiar os bancos centrais dos países-membros, e outras instituições financeiras, a cumprir pagamentos de dívida e para evitar incumprimentos financeiros, estando também disponível para apoiar e estabilizar os recursos cambiais dos bancos centrais, financiando as importações fundamentais em condições de emergência”.

A divulgação do valor da ajuda consta do relatório sobre as contas do primeiro semestre do banco, divulgado esta semana pela instituição financeira com sede no Cairo, capital do Egito, no qual se anuncia um aumento de 10% nas receitas durante os primeiros seis meses do ano, apesar das limitações impostas pela propagação da pandemia da covid-19.

“Apesar do impacto da pandemia da covid-19 nas condições globais sociais e económicas, o Afreximbank viu o seu Rendimento Líquido aumentar 10%, para 150,7 milhões de dólares (127 milhões de euros) em junho deste ano, principalmente como resultado de um forte crescimento de 134% das receitas líquidas de taxas e comissões”, lê-se na nota.

O total de ativos cresceu 34%, para 19,3 mil milhões de dólares (16,3 mil milhões de euros) no final do primeiro semestre, sustentado no crescimento de 26% dos empréstimos, que chegaram a 15,2 mil milhões de dólares (12,8 mil milhões de euros), acrescenta-se no relatório financeiro deste banco multilateral de financiamento comercial em África.

“O nosso desempenho financeiro na primeira metade do ano foi agradável e demonstrou que continuámos focados na entrega de valor aos acionistas, mesmo cumprindo a agenda de desenvolvimento do banco e intensificando o apoio ao nosso continente no seu esforço para conter a propagação da pandemia e as suas consequências devastadoras”, comentou o presidente do Afreximbank, Benedict Oramah.

“O resultado reflete a sabedoria das medidas de resposta à covid-19 lançadas pelo banco em meados de março, quando demos prioridade à saúde dos nossos trabalhadores, ao apoio aos países-membros para gerirem o impacto da pandemia e à necessidade de apresentar um desempenho financeiro aceitável”, concluiu o banqueiro.

Em África, há 27.984 mortos confirmados em cerca de 1,2 milhões de infetados pelo novo coronavírus em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 813 mil mortos e infetou mais de 23,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

MBA // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS