Costa considera que “maior vulnerabilidade” da Europa está no setor da energia

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje, em Paris, que “a maior vulnerabilidade que a Europa tem” neste momento está no setor da energia e disse contar com o Presidente francês para construir o futuro da UE.

Costa considera que

Costa considera que “maior vulnerabilidade” da Europa está no setor da energia

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje, em Paris, que “a maior vulnerabilidade que a Europa tem” neste momento está no setor da energia e disse contar com o Presidente francês para construir o futuro da UE.

Após um encontro com o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, em Paris, António Costa disse ter debatido questões como a paz, a segurança alimentar, a transição energética e a defesa.

“É uma oportunidade de discutirmos as questões que estão na ordem do dia da Europa, as questões que têm a ver com a reconstrução da paz, a necessidade de responder às crises de segurança alimentar e de reforçar as nossas capacidades de defesa. Mas também responder àquilo que esta crise demonstrou bem, é que a maior vulnerabilidade que a Europa tem está no setor da energia”, sublinhou.

Antes de um almoço no Palácio do Eliseu, o chefe do executivo português disse contar com “a energia” do Presidente francês para construir o futuro da Europa, nomeadamente a independência energética e de defesa.

“Aqui, no Palácio do Eliseu, com a energia do Presidente Emmanuel Macron, é certamente um bom ponto para olhar para o futuro da Europa, para aquilo que temos de mudar para ter uma Europa cada vez mais forte, mais justa, mais inclusiva e mais capaz de competir à escala mundial”, disse o primeiro-ministro português aos jornalistas.

Costa está em Paris para inaugurar três exposições sobre arte portuguesa nos principais museus franceses, incluindo o Louvre, sendo recebido para um almoço de trabalho no Palácio do Eliseu.

Antecipando a discussão à mesa do almoço, António Costa defendeu a necessidade de acelerar a transição energética para “recuperar” a independência europeia neste setor, tendo também Emmanuel Macron mostrado abertura para um entendimento a este respeito.

“Vamos falar da Ucrânia, da melhor maneira de continuar a apoiar a Ucrânia, sancionar  a Rússia e fazer tudo para colocar um ponto final ao conflito. Vamos falar sobre a segurança alimentar. Temos trabalhado nestes últimos anos no reforço da Europa e vamos falar sobre a questão energética e de defesa”, referiu Emmanuel Macron.

Após uma agenda exigente a nível europeu que levou os dois líderes a encontrarem-se ainda na semana passada em Bruxelas, o Presidente francês brincou dizendo que ele próprio e António Costa já não se largam mais. Macron disse também que África estará em discussão no almoço.

“Um dos temas muito importantes para os nossos dois países é a África. O vosso país é muito comprometido e um parceiro constante e eficaz, e a nossa parceria reforçada é outro ponto de compromisso a nível europeu”, afirmou.

Emmanuel Macron aproveitou também esta ocasião para confirmar a sua presença na Cimeira dos Oceanos da ONU, que se vai realizar em junho, em Lisboa.

No âmbito da Temporada Cruzada entre França e Portugal que decorre este ano, António Costa vai inaugurar hoje em Paris três exposições relacionadas com Portugal: no Louvre, “A idade de ouro do renascimento português”, “O resto é sombra” no Centro Pompidou e “Gulbenkian por ele próprio” no Hotel de la Marine.

 

CYF // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS