Coreia do Sul vai estabelecer uma missão diplomática junto da NATO

A Coreia do Sul vai estabelecer uma missão diplomática junto da NATO em Bruxelas, anunciou hoje um representante do gabinete do chefe de Estado sul coreano que vai participar na próxima cimeira da Aliança Atlântica.

Coreia do Sul vai estabelecer uma missão diplomática junto da NATO

Coreia do Sul vai estabelecer uma missão diplomática junto da NATO

A Coreia do Sul vai estabelecer uma missão diplomática junto da NATO em Bruxelas, anunciou hoje um representante do gabinete do chefe de Estado sul coreano que vai participar na próxima cimeira da Aliança Atlântica.

A reunião da NATO vai realizar-se na próxima semana, em Madrid. 

O estabelecimento da missão diplomática de Seul foi anunciado pelo assessor para a Segurança Nacional, Kim Sung-han, durante uma conferência de imprensa na capital da Coreia do Sul sobre a deslocação do chefe de Estado sul coreano que tomou posse no passado dia 10 de maio.

A nova missão da Coreia do Sul junto da NATO vai ser liderada por Yoon Soon-qu, atual embaixador da Coreia do Sul na Bélgica e na União Europeia, disse o mesmo elemento do gabinete do chefe de Estado citado pela agência Yonhap. 

A Coreia do Sul, apesar de não ser membro da NATO foi convidado como “país associado” a estar presente na próxima cimeira da Aliança Atlântica que se realiza nos próximos dias 29 e 30 de junho na capital espanhola. 

Os outros Estados associados que vão fazer deslocar representantes a Madrid são o Japão, a Austrália e a Nova Zelândia. 

A Cimeira da Aliança Atlântica deve ficar marcada pela atual situação no Leste da Europa em virtude da nova invasão da Ucrânia pelas forças da Rússia.

À margem da reunião da NATO espera-se a realização de um encontro entre o chefe de Estado da Coreia do Sul, o presidente dos Estados Unidos e o primeiro-ministro do Japão estando também agendada uma reunião em que vão participar os dirigente da Coreia do Sul e do Japão, o primeiro-ministro da Austrália, Anthony Albanese e a chefe do governo da Nova Zelândia Jacinda Ardern.

Esta reunião dos países da Ásia e Oceânia vai concentrar-se na promoção das políticas no sentido de uma região (Indo-Pacífico) “livre e aberto”. 

 

PSP // SB

Lusa/Fim

 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS