Conselho Mundial das Igrejas lamenta conversão de Santa Sofia em mesquita

O Conselho Mundial de Igrejas, que agrupa cerca de 350 igrejas cristãs não católicas de todo o mundo, expressou hoje “dor e consternação” com a decisão de converter a antiga basílica de Santa Sofia, em Istambul, numa mesquita.

Conselho Mundial das Igrejas lamenta conversão de Santa Sofia em mesquita

Conselho Mundial das Igrejas lamenta conversão de Santa Sofia em mesquita

O Conselho Mundial de Igrejas, que agrupa cerca de 350 igrejas cristãs não católicas de todo o mundo, expressou hoje “dor e consternação” com a decisão de converter a antiga basílica de Santa Sofia, em Istambul, numa mesquita.

Numa carta enviada ao Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que anunciou na sexta-feira esta mudança, o secretário-geral do Conselho Ecuménico, Ioan Sauca, lembrou que Santa Sofia é desde 1934 “um local de abertura, encontro e inspiração para pessoas de todas as nações e credos”.

A basílica era um exemplo do compromisso da Turquia “com o secularismo, a inclusão e o desejo de deixar para trás os conflitos do passado”, realçou.

A decisão de a mudar para mesquita, no seu entender, “reverteu a imagem positiva de abertura da Turquia, alterando-a para exclusão e divisão”, e desacredita também o valor universal deste monumento classificado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

De acordo com o responsável máximo do Conselho Ecuménico, a transformação de um lugar tão emblemático numa mesquita “trará inevitavelmente incertezas, suspeitas e desconfiança, minando todos os esforços para sentar pessoas de diferentes religiões à mesa do diálogo e da cooperação”.

A UNESCO e países como Grécia e Rússia também manifestaram o seu mal-estar com a decisão da Turquia no que respeita à basílica, a qual foi construída durante o Império Bizantino e foi uma catedral ortodoxa durante grande parte de sua história, embora tenha sido uma igreja católica e uma mesquita no período otomano.

Em 1934, a basílica foi convertida num museu, estatuto que possuía até hoje, sendo que em 1985 entrou para a lista do Património Mundial da UNESCO.

JS // ROC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS