Conselho de Segurança da ONU condena “firmemente” ataque que matou 89 soldados no Níger

Os embaixadores dos 15 países-membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas condenaram hoje firmemente o ataque que, na semana passada, matou 89 soldados no oeste do Níger e homenagearam as vítimas com um minuto de silêncio.

Conselho de Segurança da ONU condena

Conselho de Segurança da ONU condena “firmemente” ataque que matou 89 soldados no Níger

Os embaixadores dos 15 países-membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas condenaram hoje firmemente o ataque que, na semana passada, matou 89 soldados no oeste do Níger e homenagearam as vítimas com um minuto de silêncio.

O Conselho de Segurança “condena firmemente” este ataque, declarou o presidente em exercício deste órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) durante o mês de janeiro, o embaixador do Vietname, Dang Dinh Quy.

“O Níger e a África Ocidental necessitam de todos vós” no combate contra os extremistas, sublinhou aos seus parceiros o embaixador do Níger, Abdou Abarry, cujo país é membro não-permanente do Conselho de Segurança desde 01 de janeiro.

Esta declaração surge numa altura em que os Estados Unidos da América querem reduzir a presença militar em África.

O exército norte-americano tem em África cerca de 7.000 soldados das forças especiais, nomeadamente no leste, para intervenções na Somália, ou no oeste, onde contribuem para a luta contra a expansão do ‘jihadismo’.

A França reúne hoje, por iniciativa do Presidente Emmanuel Macron, cinco países da região do Sahel para reiterar a legitimidade contestada por militares franceses destacados no local e mobilizar os seus aliados europeus.

O Níger sofreu na quinta-feira o pior ataque da sua história, que vitimou 89 militares em Chinégodar (oeste, na fronteira do Mali), anunciou no domingo o porta-voz do Governo nigerino, que indicou que “do lado do inimigo, [houve] 77 mortos”.

JH (ATR) // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS