Congresso pede a Pompeo que entregue documentos da investigação ucraniana

Várias comissões do Congresso dos EUA que investigam os contactos deTrump com Kiev, para iniciar um julgamento político, requereram documentos ao secretário de Estado, Mike Pompeo.

Congresso pede a Pompeo que entregue documentos da investigação ucraniana

Congresso pede a Pompeo que entregue documentos da investigação ucraniana

Várias comissões do Congresso dos EUA que investigam os contactos deTrump com Kiev, para iniciar um julgamento político, requereram documentos ao secretário de Estado, Mike Pompeo.

Washington, 28 set 2019 (Lusa) — Várias comissões do Congresso dos Estados Unidos que investigam os contactos do Presidente norte-americano, Donald Trump, com Kiev, para iniciar um julgamento político, requereram documentos ao secretário de Estado, Mike Pompeo.

As comissões também chamarão a depor durante as próximas duas semanas cinco funcionários do Departamento de Estado – equivalente ao Ministério dos Negócios Estrangeiros – com conhecimento dos factos que investigam, segundo um comunicado conjunto.

Entre os citados, figura a embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, Marie Yovanovitch, que deporá a 02 de outubro, o ex-enviado especial dos EUA para a Ucrânia — demitido na sexta-feira -, Kurt Volke, e o embaixador de Trump para a União Europeia (UE), Gordon Sondland (dia 10).

Estas são as primeiras citações emitidas pelas comissões, que desde terça-feira investigam os contactos entre Trump e Kiev para desencadear um processo político, uma ação ordenada pela presidente da Câmara Baixa, a democrata Nancy Pelosi.

No epicentro do terramoto político encontra-se a chamada de 25 de julho na qual Trump pediu ao homólogo ucraniano, Vladimir Zelenski, que investigasse o ex-vice-presidente e pré-candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, e a família, por alegada corrupção na Ucrânia.

Trump, além do mais, bloqueou uma transferência de cerca de 400 milhões de dólares (cerca de 365 milhões de euros) em ajuda militar a Kiev, semanas depois do telefonema com Zelenski.

A chamada levou um funcionário — um agente da CIA, de acordo com o jornal New York Times -, a apresentar uma queixa interna, que após uma luta política entre o Congresso e o Governo se tornou pública esta semana e provocou o início do processo para um julgamento político contra Trump.

Na quinta-feira, Pompeo tentou demarcar o Departamento de Estado do escândalo com a Ucrânia, perante a crescente suspeita do Congresso sobre o possível papel do titular dos Negócios Estrangeiros.

“Até onde sei, e pelo que vi até agora, todas as ações dos funcionários do Departamento de Estado foram completamente adequadas e coerentes com o objetivo que temos tido”, disse Pompeo.

Não obstante, o advogado pessoal do Presidente, Rudy Giuliani, que é descrito na queixa como “figura central” da trama, afirmou que os seus contactos com a Ucrânia ocorreram na sequência de um pedido do Departamento de Estado.

AH // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS