Comerciantes dos Açores perspetivam aumento das vendas no Natal

Os representantes das Câmaras do Comércio e Indústria dos Açores estão otimistas com as dinâmicas evidenciadas no comércio na atual época de Natal, perspetivando “um aumento das vendas este ano”, embora com algum ceticismo por causa da pandemia.

Comerciantes dos Açores perspetivam aumento das vendas no Natal

Comerciantes dos Açores perspetivam aumento das vendas no Natal

Os representantes das Câmaras do Comércio e Indústria dos Açores estão otimistas com as dinâmicas evidenciadas no comércio na atual época de Natal, perspetivando “um aumento das vendas este ano”, embora com algum ceticismo por causa da pandemia.

“Há uma perspetiva de aumento de vendas, porque, este ano, as famílias provavelmente vão socializar mais [do que em 2020, devido à pandemia de covid-19]. Parece que esta época vai ser bastante melhor do que a anterior”, afirmou o presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, Mário Fortuna, em declarações à agência Lusa.

O presidente da associação empresarial das ilhas de São Miguel e Santa Maria sublinhou que “o feedback dos comerciantes tem sido muito positivo”, com “alguma apreensão” em relação “à disponibilidade dos fornecedores em algumas áreas”, devido a “alguma dificuldade no atraso” de mercadoria, “um problema que se tem evidenciado nas cadeias logísticas a nível mundial”.

“Temos, para já, expectativas muito positivas de que o ano seja bastante razoável, bastante bom”, sublinhou Mário Fortuna, explicando que “a situação não é tão dramática quanto o ano anterior”.

As perspetivas “são de uma retoma acentuada face a 2020”, indicou.

O responsável considera que, este ano, “não deverá haver uma retoma total” relativamente ao período pré-pandemia de covid-19, mas “um passo significativo no sentido positivo”.

Com o objetivo de “devolver a cidade às pessoas e dinamizar o comércio tradicional”, a Câmara de Ponta Delgada, em São Miguel, desenvolveu um programa de Natal e Passagem de Ano, com mais de meia centena de eventos, acompanhado de alterações ao nível da mobilidade, com interdição de algumas ruas para alterar o paradigma da mobilidade no centro histórico.

A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, que tem a sua área de intervenção nas ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa, destaca também “o ‘feedback’ positivo” das vendas nesta quadra no comércio tradicional.

“Existe o retorno das pessoas ao comércio mais tradicional. Tem existido um aumento das compras. Já o ano passado tinha sido bom em termos de volume de vendas. Este ano perspetiva-se que seja idêntico ou melhor”, avançou à Lusa Marcos Couto, presidente da associação empresarial com sede na ilha Terceira.

Marcos Couto realçou as iniciativas desenvolvidas pelos municípios nesta quadra natalícia para “atrair” a população e visitantes ao comércio local.

“Isso ajuda sempre a criar alguma dinâmica e uma nova expectativa nos próprios comerciantes”, assinalou.

Ainda assim, o presidente da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo notou “alguma preocupação” na retração verificada ao nível da ocupação hoteleira, devido às novas medidas impostas aos viajantes por causa do aumento do número de casos de covid-19

“O turismo é sempre importante para alavancar o comércio, mas temos alguns receios que não seja isso que se venha a verificar”, sustentou.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, Francisco José Rosa, referiu que os consumidores ainda “estão um pouco céticos”, porque “existem muitas dúvidas” quanto ao desenrolar da pandemia de covid-19 e “os últimos desenvolvimentos”, com o aumento de casos na Europa, “também trouxeram algumas restrições que não estavam impostas”.

“Apesar do receio do aumento de casos, os comerciantes estão expectantes em melhorar a sua faturação”, sublinhou Francisco José Rosa, eleito recentemente, referindo ainda que o tradicional Dia das Montras, assinalado na quarta-feira, “trouxe muitos” residentes “à cidade da Horta”.

Segundo o dirigente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, que representa institucionalmente o Pico, Faial, Flores e Corvo, as autarquias têm dinamizado várias atividades para esta quadra festiva para que “o comércio tradicional e empresários consigam ter alguns ganhos” e recuperarem as vendas perdidas devido à pandemia.

“As pessoas estão a necessitar de algumas dinâmicas, porque já é demasiado tempo em casa e com a falta de festividades devido à pandemia as pessoas estão a aderir a estas iniciativas da quadra de Natal”, frisou.

APE // ACG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS