CNN Atlanta recebeu pacote suspeito

CNN Atlanta recebeu pacote suspeito

Um pacote suspeito endereçado à estação televisiva norte-americana CNN foi hoje intercetado num posto dos correios da cidade de Atlanta, indicou o presidente da CNN, Jeff Zucker.

A polícia de Atlanta, capital do Estado norte-americano da Geórgia, confirmou que respondeu a essa ocorrência e que toda a correspondência dirigida à CNN tem sido verificada fora das instalações da estação televisiva desde a semana passada, quando vários pacotes armadilhados começaram a ser identificados em vários pontos do país, endereçados a pessoas ou entidades críticas do Presidente norte-americano, Donald Trump.

Figuras como a ex-candidata presidencial Hillary Clinton, o ex-presidente Barack Obama, o multimilionário e filantropo George Soros e o ator Robert De Niro foram alguns dos visados, e uma dessas encomendas foi igualmente enviada para a redação da CNN em Nova Iorque.

Entretanto, a polícia federal (FBI) disse que o seu esquadrão de minas e armadilhas foi chamado devido a “um pacote suspeito” na estação de correios da baixa de Atlanta.

O porta-voz do FBI Kevin Rowson afirmou, via correio eletrónico, que a agência foi notificada pelos serviços de inspeção dos correios norte-americanos da chegada de um pacote suspeito ao número 400 da rua Pryor, no centro de Atlanta, que é a morada do posto de correios, mas não revelou a quem estava endereçada a encomenda.

Está marcada para hoje, no tribunal federal da Florida, a primeira audiência de Cesar Sayoc, de 56 anos, detido na sexta-feira naquele Estado depois de os investigadores terem encontrado nas encomendas com engenhos explosivos artesanais impressões digitais e ADN do suspeito, que é acusado de cinco crimes federais.

ANC // ANP

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

CNN Atlanta recebeu pacote suspeito

Um pacote suspeito endereçado à estação televisiva norte-americana CNN foi hoje intercetado num posto dos correios da cidade de Atlanta, indicou o presidente da CNN, Jeff Zucker.