Chefe do Governo de Macau confiante em crescimento da economia no próximo ano

O chefe do Governo de Macau, Fernando Chui Sai On, reiterou encarar com “otimismo cauteloso” o desempenho da economia, mas mostrou-se confiante num regresso ao crescimento positivo no próximo ano, como antecipado pelo FMI.

Chefe do Governo de Macau confiante em crescimento da economia no próximo ano

Chefe do Governo de Macau confiante em crescimento da economia no próximo ano

O chefe do Governo de Macau, Fernando Chui Sai On, reiterou encarar com “otimismo cauteloso” o desempenho da economia, mas mostrou-se confiante num regresso ao crescimento positivo no próximo ano, como antecipado pelo FMI.

Macau, China, 20 dez (Lusa) — O chefe do Governo de Macau, Fernando Chui Sai On, reiterou hoje encarar com “otimismo cauteloso” o desempenho da economia, mas mostrou-se confiante num regresso ao crescimento positivo no próximo ano, como antecipado pelo FMI.


“Apesar das previsões para o próximo ano apontarem muitas incertezas na economia mundial, continuamos a encarar com otimismo cauteloso a perspetiva do desenvolvimento económico de Macau. Acreditamos que no próximo ano a economia terá um desenvolvimento estável e estamos confiantes que será alcançado um crescimento positivo”, afirmou, no discurso da receção do 17.º aniversário da transferência do exercício de soberania de Macau de Portugal para a China.


Essa ideia tinha sido transmitida pelo líder do Governo aquando da apresentação das Linhas de Ação Governativa, em novembro.


“Nestes últimos anos, a economia de Macau, influenciada pelos fatores complexos do exterior, entrou numa fase de ajustamento profundo. Contudo, com o esforço conjunto de toda a sociedade, este ano a conjuntura geral da economia tem-se mantido estável, e no último trimestre a tendência decrescente registou uma inversão”, assinalou Fernando Chui Sai On, ao destacar ainda “o nível relativamente baixo” – abaixo dos 2% – da taxa de desemprego e as estáveis finanças públicas.


Arrastada pelo desempenho do setor do jogo, a economia da Região Administrativa Especial entrou em queda no terceiro trimestre de 2014, ano em que o Produto Interno Bruto (PIB) diminuiu pela primeira vez desde a transferência, em 1999 (-1,2%, segundo dados oficiais revistos).


Em 2015, o PIB caiu 21,5% e no primeiro e segundo trimestres deste ano contraiu-se 12,4% e 7%, respetivamente, na comparação homóloga com 2015.


Ao fim de dois anos de contração, voltou a crescer no terceiro trimestre terminado em setembro, com o PIB a aumentar 4% face ao mesmo período de 2015.


O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que o PIB sofra uma queda de 4,7% este ano, antecipando um regresso ao crescimento (0,2%) no próximo.


As receitas dos casinos subiram em novembro pelo quarto mês consecutivo naquele que foi o primeiro crescimento a dois dígitos, depois das subidas em outubro (8,8%), setembro (7,4%) e agosto (1,1%), registadas após 26 meses consecutivos de diminuições anuais homólogas.



DM (MP) // VM


Lusa/Fim

Impala Instagram


RELACIONADOS