CGTP espera “grande adesão” à ação nacional de luta no sábado

A secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha, disse hoje esperar uma “grande adesão” à “ação de luta nacional” de sábado em vários pontos do país e garantiu que serão respeitadas as regras sanitárias contra a covid-19.

CGTP espera

CGTP espera “grande adesão” à ação nacional de luta no sábado

A secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha, disse hoje esperar uma “grande adesão” à “ação de luta nacional” de sábado em vários pontos do país e garantiu que serão respeitadas as regras sanitárias contra a covid-19.

“A ação de dia 26 será o culminar de um conjunto muito grande de lutas, de plenários e de contactos com os trabalhadores que temos vindo a fazer nos últimos meses e a perspetiva que temos é de ter grande adesão nas ações em todo o país”, afirmou a líder CGTP à Lusa.

Apesar de esperar uma forte participação nas várias ações que estão programadas, Isabel Camarinha assegurou que a CGTP “vai garantir a proteção de todos com o distanciamento necessário e respeitando as regras de segurança sanitárias”.

“Temos concentrações ou manifestações praticamente em todo o país e nessas ações os espaços que temos garantem o distanciamento”, acrescentou a secretária-geral da CGTP.

Isabel Camarinha estará presente na manifestação em Coimbra, que se realiza na manhã de sábado ,e à tarde, a líder da intersindical participa na manifestação em Lisboa.

A ação de luta nacional da CGTP para o próximo sábado foi anunciada no final de agosto pela intersindical e prevê concentrações e manifestações em todos os distritos e regiões autónomas, com o lema “Aumentar os salários! Desenvolver o País.”

A iniciativa tem como objetivo fazer convergir todas as reivindicações da central sindical, nomeadamente as que se referem ao aumento geral dos salários e pensões e do salário mínimo nacional, pagamento da totalidade da retribuição a todos os trabalhadores com cortes salariais e garantia do emprego e do combate à precariedade.

A CGTP reivindica o aumento geral dos salários em 90 euros no próximo ano e a subida do salário mínimo nacional de 635 euros para 850 euros a curto prazo.

DF (RRA)// MP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS