Cento e setenta e cinco sírios recusados por Nicósia desembarcam no Chipre do Norte

As autoridades do Chipre do Norte anunciaram ter socorrido um grupo de 175 sírios de uma embarcação, após terem sido impedidos de desembarcar na parte sul da ilha.

Cento e setenta e cinco sírios recusados por Nicósia desembarcam no Chipre do Norte

Cento e setenta e cinco sírios recusados por Nicósia desembarcam no Chipre do Norte

As autoridades do Chipre do Norte anunciaram ter socorrido um grupo de 175 sírios de uma embarcação, após terem sido impedidos de desembarcar na parte sul da ilha.

Segundo a polícia da autoproclamada República Turca de Chipre do Norte (RTCN), os refugiados, incluindo 69 crianças, foram recolhidos durante a noite após o naufrágio da sua embarcação a uma dezena de metros da costa, a sul da península de Karpas.

Foram depois levados para um ginásio no distrito de Iskele (nordeste da ilha) onde devem ser submetidos a exames médicos, adiantou a polícia.

Na sexta-feira, as autoridades cipriotas impediram a embarcação, cuja proveniência ainda não é conhecida, de atracar no sul da ilha.

Chipre encontra-se a apenas 100 quilómetros do Líbano e a 80 quilómetros da Turquia, dois países que acolhem mais de quatro milhões de sírios que fugiram da guerra no seu país.  

Nos últimos meses, várias embarcações de migrantes provenientes da cidade turca de Mersin (sul) chegaram a Chipre.

A ilha mediterrânica está dividida em duas desde a invasão em 1974 da zona norte pelo exército turco, reagindo a um golpe que visava ligar o Chipre à Grécia.

A República do Chipre, membro da União Europeia, controla dois terços da ilha, onde habitam os cipriotas-gregos. Os cipriotas-turcos vivem na RTNC, não reconhecida pela comunidade internacional.

De acordo com o gabinete europeu de estatísticas Eurostat, Chipre é o país da UE com a mais alta taxa de acolhimento de refugiados, em relação à sua população de menos de um milhão de habitantes.

Em agosto de 2019, o Chipre pediu aos outros Estados membros da União para receberem 5.000 migrantes na ilha e aliviarem a ilha dos “sérios desafios” que dizia enfrentar.

 

PAL // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS