CDS e PAN cumprimentam manifestantes das forças de segurança e dizem compreender reivindicações

O deputado do CDS-PP Telmo Correia e a líder parlamentar do PAN, Inês Corte-Real, desceram hoje para junto dos elementos das forças de segurança, em frente à Assembleia da República, manifestando compreensão quanto às suas reivindicações.

CDS e PAN cumprimentam manifestantes das forças de segurança e dizem compreender reivindicações

CDS e PAN cumprimentam manifestantes das forças de segurança e dizem compreender reivindicações

O deputado do CDS-PP Telmo Correia e a líder parlamentar do PAN, Inês Corte-Real, desceram hoje para junto dos elementos das forças de segurança, em frente à Assembleia da República, manifestando compreensão quanto às suas reivindicações.

Em declarações à Lusa, Telmo Correia explicou que, perante “todo o aparato” montado para prevenir eventuais situações de violência, o CDS-PP quis dar um sinal de que há quem “com toda a naturalidade” não tenha problemas em falar com os manifestantes.

“Hoje quisemos sobretudo cumprimentá-los e dizer-lhes que a nossa porta está sempre aberta para ouvir as suas reivindicações”, afirmou, acrescentando que, já na semana passada, o partido recebeu duas associações sindicais.

Telmo Correia admitiu que “há responsabilidades partilhadas” de todos os partidos quanto aos problemas das forças de segurança, mas sublinhou que nos últimos quatro anos de governação socialista “foram criadas expectativas elevadas e nada foi resolvido”.

“Estas mulheres e estes homens chagaram ao seu limite de capacidade e resistência salientou”, afirmou.

O deputado centrista recordou que na quarta-feira o partido apresentou iniciativas para o setor, entre elas a proposta de criação de um grupo de trabalho para que os partidos vão ao terreno e tirem conclusões “se as reivindicações são justas ou não” e para que se criem soluções políticas “para ultrapassar politicamente” os problemas das forças de segurança.

Por seu lado, o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) exigiu que as reivindicações dos agentes obtenham resposta, já no Orçamento de Estado para o próximo ano.

O partido espera que neste orçamento haja um “reforço dos meios policiais”, que sejam melhoradas as condições de trabalho “débeis” destes agentes e que haja a “progressividade das carreiras”.

A líder parlamentar do PAN, Inês Corte-Real, falou à comunicação social logo após o contacto com os manifestantes, considerando “justas” as suas reivindicações.

“São conhecidas da opinião pública a falta de condições nas esquadras, ou até mesmo do equipamento circulante como as viaturas automóveis ou as questões do fardamento”, sublinhou a deputada.

O partido mostrou-se solidário com este manifesto e afirmou que o PAN está disponível para ouvir os agentes e “promover através do diálogo uma tentativa do governo voltar às negociações de forma mais célere”.

Elementos da PSP e da GNR manifestam-se hoje em Lisboa para pressionarem o novo Governo a cumprir as reivindicações da classe e as promessas do anterior executivo, num protesto que se iniciou no Marquês do Pombal e culminou com uma concentração junto à Assembleia da República.

A manifestação organizada pela Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) e a Associação Profissionais da Guarda (APG/GNR) foi recebida em São Bento com um forte dispositivo policial e grades reforçadas com blocos de betão.

Fonte do partido Livre disse à Lusa que a deputada Joacine Katar Moreira manifestou disponibilidade para receber representantes das organizações e sindicatos das forças de segurança.

SMA/ARZL // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS