Catarina Martins recusa “caminho da intriga” na campanha e quer discutir propostas

Catarina Martins discursava no encerramento do Fórum Socialismo 2019, a ‘rentrée’ do BE, que hoje termina no Porto, uma iniciativa que teve 750 participantes ao longo dos três dias.

Catarina Martins recusa

Catarina Martins recusa “caminho da intriga” na campanha e quer discutir propostas

Catarina Martins discursava no encerramento do Fórum Socialismo 2019, a ‘rentrée’ do BE, que hoje termina no Porto, uma iniciativa que teve 750 participantes ao longo dos três dias.

Porto, 01 set 2019 (Lusa) – A coordenadora do BE recusou hoje “o caminho da intriga” durante a campanha para as legislativas, assegurando que vai seguir “o caminho da proposta”, sendo o trabalho e o investimento os grandes desafios que vão definir o próximo Governo.

Catarina Martins discursava no encerramento do Fórum Socialismo 2019, a ‘rentrée’ do BE, que hoje termina no Porto, uma iniciativa que teve 750 participantes ao longo dos três dias, sendo, segundo a líder, “o maior Fórum Socialismo da história do Bloco de Esquerda”.

“Recusamos o caminho da intriga, vamos ao caminho da proposta, este é o nosso programa, é isto que queremos fazer acontecer”, afirmou a líder do BE, respondendo assim a quem tenta fazer que “esta campanha seja sobre tudo menos sobre o que conta”.

O BE, prosseguiu Catarina Martins, apresenta-se às eleições legislativas “para apresentar proposta, para apresentar programa, para discutir o que é preciso fazer no país”.

“Não nos dispersamos em jogos de provocações, nunca nos desviamos do que conta: responder por este país”, assegurou, num discurso que demorou menos de 20 minutos.

Trabalho e investimento são as “duas áreas que vão ser os grandes desafios que definem um próximo Governo”, aquele que vai sair das próximas eleições legislativas.

“No dia 06 de outubro, o voto no BE é o voto que faz acontecer”, disse, usando assim o slogan que o partido assume para estas eleições.

JF // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS