Brexit: Progressos ainda insuficientes nos “últimos momentos” das negociações – MNE

Os “últimos momentos” da negociação entre UE e Reino Unido sobre relação futura permitiram alguns progressos, mas ainda insuficientes para fechar acordo, disse Augusto Santos Silva.

Brexit: Progressos ainda insuficientes nos

Brexit: Progressos ainda insuficientes nos “últimos momentos” das negociações – MNE

Os “últimos momentos” da negociação entre UE e Reino Unido sobre relação futura permitiram alguns progressos, mas ainda insuficientes para fechar acordo, disse Augusto Santos Silva.

Bruxelas, 07 dez 2020 (Lusa) — Os “últimos momentos” da negociação entre União Europeia e Reino Unido sobre a relação futura permitiram alguns progressos, mas ainda insuficientes para fechar um acordo, disse em Bruxelas o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Em declarações à imprensa no final de uma reunião presencial dos chefes de diplomacia da UE, Santos Silva escusou-se a apontar uma data-limite para que seja alcançado um acordo, até porque, observou, a experiência nas negociações com Londres já mostrou que “é preciso ser muito parco a fazer previsões”.

O ministro reconheceu que era “muito importante” já se conhecer o desfecho das conversações quando os líderes europeus se reunirem em Bruxelas entre quinta e sexta-feira, para o último Conselho Europeu do ano.

“É muito importante que, quando os 27 chefes de Estado e de Governo se reunirem nos próximos dias 10 e 11, tenham uma noção clara” do desfecho das negociações, “porque uma coisa é certa”: embora a UE esteja “a investir tudo o que pode” num acordo, “se não for possível chegar a acordo é preciso por em prática algumas medidas de contingencia para o novo facto de, a partir de 01 de janeiro, o Reino Unido não ser membro da UE nem estar no regime de transição em que hoje se encontra”, detalhou.

Santos Silva disse esperar, ainda assim, que seja possível fechar um acordo muito brevemente sobre a relação futura entre UE e Reino Unido.

O chefe da diplomacia portuguesa observou que “foi muito importante o contacto direto entre a presidente da Comissão Europeia [Ursula von der Leyen] e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que permitiu que as equipas negociais retomassem as conversações”, atualmente em curso, num último esforço em busca de um entendimento.

O ministro apontou, todavia, que Portugal, assim como os restantes 26 Estados-membros, “não ignora que, em matéria de pescas e em matéria de condições de concorrência”, ainda é preciso trabalho para ‘fechar’ um compromisso.

Resta ainda um terceiro dossiê em aberto, o de governação do acordo, que Santos Silva acredita que não seria tão difícil de concluir, havendo acordo nos outros dois dossiês-chave.

ACC/TEYA // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS