Incerteza quanto ao ‘Brexit’ vai continuar a penalizar economia britânica

A agência de ‘rating’ Moody’s considera que o adiamento do processo do ‘Brexit’ evita um resultado iminente de saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo, mas a incerteza permanece e continuará a penalizar a economia britânica.

Incerteza quanto ao 'Brexit' vai continuar a penalizar economia britânica

Incerteza quanto ao ‘Brexit’ vai continuar a penalizar economia britânica

A agência de ‘rating’ Moody’s considera que o adiamento do processo do ‘Brexit’ evita um resultado iminente de saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo, mas a incerteza permanece e continuará a penalizar a economia britânica.

«O adiamento é positivo na medida em que evita um ‘Brexit’ sem acordo iminente a 12 de abril, que teria impacto significativo na economia britânica e nas economias de certos estados membros da União Europeia (UE)», indica a Moody’s num relatório divulgado hoje.

«Contudo, a incerteza permanece, uma vez que o parlamento britânico ainda não concordou com os termos para sair da UE, e a ambiguidade em torno do futuro estatuto do país continuará a pesar sobre a economia», lê-se na mesma nota.

O Conselho Europeu acordou esta madrugada prolongar o processo do artigo 50 e adiar a data de saída do Reino Unido da UE para 31 de outubro de 2019. «O atual estado de incerteza continuará a ter efeitos negativos ao nível do crédito sobre a economia do Reino Unido e sobre empresas em todo o espetro de negócios, impedindo investimentos e despesas», alerta também a agência de notação financeira.

A agência de ‘rating’ salienta que «com este segundo adiamento do processo ‘Brexit’, tanto o Reino Unido como a UE indicaram claramente que desejam evitar uma saída sem acordo prejudicial». E recorda que o parlamento britânico rejeitou, em múltiplas ocasiões, propostas para sair da UE sem acordo, enquanto a UE, por seu turno, sinalizou, tanto com o adiamento anterior como nesta última cimeira, que espera evitar uma saída sem acordo.

«Contudo, sem uma pressão imediata para o parlamento britânico alcançar um consenso sobre os termos da saída, a predisposição dos políticos do Reino Unido para chegar a um acordo pode diminuir», alerta a Moody’s, sublinhando que “o ónus permanece no parlamento do Reino Unido para chegar a um acordo”.

A UE e Reino Unido acordaram esta madrugada uma nova data limite para o ‘Brexit’, com os 27 a concederem a Londres uma extensão até 31 de outubro, que a primeira-ministra britânica aceitou, anunciou o presidente do Conselho Europeu.

«UE a 27 e o Reino Unido acordaram uma extensão flexível até 31 de outubro. Isto significa seis meses adicionais para o Reino Unido encontrar a melhor solução possível», escreveu Donald Tusk na sua conta oficial na rede social Twitter, a dar conta do desfecho do Conselho Europeu extraordinário realizado em Bruxelas.

A data de 31 de outubro proposta pela UE a 27 deve-se ao facto de a futura Comissão Europeia entrar em funções em 1 de novembro.

LEIA MAIS
Cães são capazes de detetar cancro no pulmão
Nuno Graciano de volta à televisão

 

Impala Instagram


RELACIONADOS