Bolsonaro enalteceu papel das Forças Armadas contra quem quer

Bolsonaro enalteceu papel das Forças Armadas contra quem quer “usurpar o poder”

O novo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, enalteceu hoje o papel das Forças Armadas como um obstáculo para quem quer “usurpar o poder”, considerando que é uma instituição que foi “esquecida” pela classe política no país.

“As Forças Armadas são o verdadeiro obstáculo para aqueles que querem usurpar o poder. Sofreram desgaste perante a classe política, mas não perante o povo, que continua a acreditar em nós”, disse Bolsonaro, um ex-capitão do exército, durante a tomada de posse do novo ministro da Defesa, o general Fernando Azevedo e Silva.

Jair Bolsonaro defendeu que os brasileiros querem “hierarquia, respeito, ordem e progresso” no país.

O novo ministro, que substitui no cargo o general Joaquim Silva e Luna, afirmou que os objetivos são garantir a “paz e harmonia social”, racionalizar as estruturas para reduzir os custos operacionais e reestruturar a carreira militar, com novos atrativos para a profissão.

“Manter a paz e a harmonia social deve ser entendido como um objetivo óbvio da Defesa”, disse o general, acrescentando que para evitar conflitos é necessária uma atitude de prevenção, capacidade para antecipar soluções e preparação das Forças Armadas.

O antigo deputado Jair Messias Bolsonaro foi empossado esta terça-feira como o 38.º Presidente da República Federativa do Brasil, numa cerimónia em Brasília.

Capitão do Exército reformado e defensor da ditadura militar – regime que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985 -, o novo Presidente brasileiro iniciou a carreira política como uma figura caricata de posições extremas e discursos agressivos em defesa da autoridade do Estado e dos valores da família cristã.

AJO // JH

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Bolsonaro enalteceu papel das Forças Armadas contra quem quer “usurpar o poder”

O novo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, enalteceu hoje o papel das Forças Armadas como um obstáculo para quem quer “usurpar o poder”, considerando que é uma instituição que foi “esquecida” pela classe política no país.