Bielorrússia/Eleições: Segurança reforçada em Minsk onde há dificuldade em aceder à Internet

As medidas de segurança foram reforçadas em Minsk, onde hoje se realizam eleições presidenciais, num clima tenso, com relatos de dificuldades de acesso à Internet, nomeadamente a redes sociais, mensagens encriptadas e ‘sites’ de notícias próximos à oposição.

Bielorrússia/Eleições: Segurança reforçada em Minsk onde há dificuldade em aceder à Internet

Bielorrússia/Eleições: Segurança reforçada em Minsk onde há dificuldade em aceder à Internet

As medidas de segurança foram reforçadas em Minsk, onde hoje se realizam eleições presidenciais, num clima tenso, com relatos de dificuldades de acesso à Internet, nomeadamente a redes sociais, mensagens encriptadas e ‘sites’ de notícias próximos à oposição.

Em várias entradas da capital, a polícia está a efetuar controlos e o tráfego está limitado a uma faixa de circulação em cada sentido, disseram várias testemunhas à AFP.

Nestes acessos também foram posicionados veículos blindados, bem como soldados armados, segundo as mesmas fontes.

No centro de Minsk foram instaladas barreiras de metal ao redor de vários edifícios administrativos, onde o estacionamento foi proibido.

As patrulhas policiais também foram intensificadas.

Vários residentes de Minsk, incluindo os jornalistas da AFP, relataram dificuldades de ligação à Internet, particularmente a ‘sites’ de notícias associados à oposição, como o ‘Tut.by’ ou a ‘Radio Liberty’.

O ‘site’ da Organização Não-Governamental (ONG) Tchestnie Lioudi, que acompanha as eleições, também estava inacessível, assim como o site da comissão eleitoral.

Outros usuários da Internet mencionaram uma lentidão significativa no funcionamento do Youtube e das mensagens criptografadas do Telegram, ou a incapacidade de aceder a certas redes privadas virtuais (VPN).

Os bielorrussos votam hoje para a Presidência da República, em que Alexander Lukashenko, no poder há mais de um quarto de século, enfrenta uma jovem adversária inesperada, Svetlana Tikhanovskaia, que mobilizou multidões, apesar da repressão.

O governo bielorrusso redobrou os seus esforços para conter a ascensão de Tikhanovskaia, detendo no sábado a chefe do seu gabinete de campanha e também, brevemente, uma outra aliada da oponente.

Desde o final de julho que o poder bielorrusso vem denunciando uma conspiração dos opositores e de mercenários russos para criar uma situação de conflitos no país.

 

RCS // MCL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS