Biden revoga decisão de proibir transexuais nas Forças Armadas dos EUA

O Presidente dos EUA, Joe Biden, usou hoje a sua autoridade executiva para revogar a polémica decisão de Donald Trump de proibir transexuais de servir nas Forças Armadas.

Biden revoga decisão de proibir transexuais nas Forças Armadas dos EUA

Biden revoga decisão de proibir transexuais nas Forças Armadas dos EUA

O Presidente dos EUA, Joe Biden, usou hoje a sua autoridade executiva para revogar a polémica decisão de Donald Trump de proibir transexuais de servir nas Forças Armadas.

Na presença do secretário de Defesa, Lloyd Austin, e do chefe do Estado-Maior General, Mark Milley, o Presidente assinou uma ordem executiva segundo a qual “todos os norte-americanos qualificados para servir nas Forças Armadas dos Estados Unidos o poderão fazer”, disse a Casa Branca num comunicado.

Esta medida anula uma proibição ordenada pelo ex-Presidente Trump, anunciada numa mensagem na sua conta da rede social Twitter, durante o seu primeiro ano de mandato.

Na sua audiência de confirmação no Senado, Lloyd Austin já tinha dado um sinal sobre a possibilidade de revogação da ordem de Trump sobre recrutamento de transgéneros.

“Se alguém estiver apto e for qualificado para servir e conseguir manter os padrões, deve ter permissão para servir e pode esperar que eu apoie isso sempre”, disse Austin perante os senadores.

Para Biden, a identidade de género não deve ser uma barreira para o serviço militar.

“A América é mais forte, internamente e no mundo todo, quando é inclusiva. Os militares não são exceção”, diz a ordem executiva assinada pelo Presidente.

“Permitir que todos os americanos qualificados sirvam seu país uniformizados é melhor para os militares e melhor para o país, porque uma força inclusiva é uma força mais eficaz. Simplificando, é a coisa certa a fazer e é do interesse nacional”, acrescenta o texto.

A ordem direciona os departamentos de Defesa e Segurança Interna a tomar medidas para aplicar a medida junto dos militares e da Guarda Costeira, explicando que estes serviços devem reexaminar os registos dos funcionários que foram dispensados ou que viram o seu recrutamento negado devido a questões de identidade de género, ao abrigo da política do Governo Trump.

O movimento para revogar a proibição do recrutamento de transgéneros é o mais recente exemplo da estratégia de Biden de usar a autoridade executiva nos seus primeiros dias de mandato para desmantelar o legado de Trump.

RJP // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS